segunda-feira, 22 de abril de 2013

Peraí, rapaz! Entenda uma coisa...


Vocês viram a entrevista do Diego Viana no Terra?

Aqui está o link: TV TERRA. Juro que tentei entender o lado ferido do “jogador ser humano”, mas parece que ele não entendeu que joga na Portuguesa e resolvi responder.
  
“A gente precisa muito do torcedor quando a gente tá em uma fase ruim. Quando acontece uma desgraça como a que aconteceu em Ribeirão, um resultado atípico de 7 a 0, que a gente ficou com vergonha. Depois a gente saiu fora, na Copa do Brasil num resultado, num dia, que a gente não estava bem, que a torcida vaiou 90 minutos. A gente só foi hostilizado, apedrejado. Chegaria as vias de fato se não tivesse policiamento depois do jogo de terça-feira. Então, isso é uma vergonha. Então, a gente, hoje, decidiu que a gente ia honrar essa camiseta da Portuguesa, esse clube. Esse dia de hoje a gente tava focado para cumprir o nosso papel, mas entre a gente, porque a gente sabe que na hora da derrota a gente tá sozinho, então na hora da vitória a gente também, hoje, resolveu comemorar sozinho”, Diego Viana.

Diego Viana,

Para começar: A gente, a gente, a gente.... A gente. Sabe que “a gente” é separado, né? “A gente” junto vira agente policial, caso de polícia. Acredito que “a gente” torcida foi muito paciente com vocês. Sempre soubemos que você e mais uns 8 são ruins de bola, mas "a gente" teve paciência.  

Deixa eu explicar: Vocês perderam a razão quando foram derrotados por 7 a 0. “A gente” nem se importaria tanto como uma derrota se vocês tivessem honrado a camisa e as cores da Portuguesa. “A gente” que estava na arquibancada ou vendo pela TV também ficou com vergonha, e digo mais, “a gente” usou a camisa da Portuguesa depois do jogo e o que vocês fizeram? Voltaram para São Paulo sem dar uma explicação,  sem pedir desculpas, sem lamentar pela maior vergonha da história da Portuguesa.

“A gente” não vai esquecer nunca do 7 a 0. E tem mais... No seu lugar, eu também sentiria vergonha. Onde já se viu perder de 7 a 0? É a maior prova de incompetência de um time profissional. Que clube vai contratar um profissional que tem no currículo 7 a 0? 

E o que  você esperava no jogo seguinte? Flores, abraços, aplausos e apoio? Vocês, jogadores, romperam com a torcida. Vocês provaram que não merecem vestir a camisa da Portuguesa. Vocês humilharam a Lusa diante do Comercial e depois foram eliminados pelo Naviraiense. O que você esperava, Viana? Me diga!

Aliás, você nem no banco estava. Horas antes da partida você teve uma caganeira e nem jogou. Então não me fale em humilhação porque você não estava lá. E aos que estavam, digo que sentimos a mesma coisa no 7 a 0.  Se alguém foi apedrejado nessa história, foi a torcida. Nós, torcedores, levamos cada gol como se fosse uma pedrada na cara. Nós sofremos e vocês foram só “hostilizados”.

E no último domingo, vocês decidiram que iriam honrar “essa camiseta da Portuguesa, esse clube”?

Peraí, rapaz. Não é apenas uma camiseta, é um manto sagrado que carrega uma torcida, um brasão e move paixões. E “esse clube” não é um clube qualquer, é o meu clube, meu time, e você é funcionário e deve honrar “esse clube” em TODOS os jogos. Se você não sabe, vou te contar, “esse clube” é muito maior que você e que todos esses jogadores que não me representam e não representam a Portuguesa. Vocês só estão aí por causa de uma administração pífia que está “cagando e andando” para a Portuguesa, assim como você e boa parte do elenco. Então, eu exijo mais respeito com o meu time. E exijo que você honre a camisa da Portuguesa em todos os jogos. E se vocês tem algum problema com a direção, resolvam com eles, façam uma greve, mas não desdenhe da nossa camisa dentro de campo. Você e os demais estão apenas de passagem na Lusa, nós continuaremos na arquibancada, então não suje a nossa história e respeite a Portuguesa. 

E para finalizar, queridão, vocês podem comemorar de qualquer maneira. Você pode até fazer coraçãozinho com as mãos, eu não estou nem aí para você. Mas estarei na arquibancada apoiando a Portuguesa. Se quiser aplausos e "parabéns" faça por merecer, ok? 

domingo, 21 de abril de 2013

Vida

Foto de Julia Prandina
Por Carlos Zorzi*

Você já me fez chorar de alegria
Você já me desolou em desespero
Você já tentou me humilhar em vários dias
E eu estive lá o tempo inteiro

Às vezes disputamos o que não vale nada,
empatamos por um placar sem graça
E mesmo assim
Com você o meu tempo passa

Tenho você em todos os meus momentos
No brasão que eu levo no colar
Na assinatura dos meus documentos
E nas roupas que eu nunca canso de usar

Às vezes você me decepciona
Mas eu juro que não me importo
Sempre acho que dias melhores estão a caminho
Mesmo que no meu otimismo eu esteja sozinho

Se sonhar fosse pago
Eu gastaria tudo que eu tenho com você.


*Carlos Zorzi é torcedor e apaixonado pela Portuguesa. 

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Abril Maldito


O Portuguesa vive o pior Abril da história do clube. Um amigo me disse que esse mês ficará marcado como “Abril Maldito”.

O maldito mês do 7 a 0 e da eliminação da Copa do Brasil pode se tornar ainda mais maldito se a Lusa perder os próximos jogos e permanecer no pesadelo da A2.

Ainda sem engolir o gosto amargo do 7 a 0 e o empate azedo contra o Naviraiense, domingo temos um jogo decisivo contra aquele time que nos humilhou, massacrou e acabou com a Portuguesa. Não teve dó e muito menos piedade. A Portuguesa parecia uma coitada, indefesa, inocente, pura e santa diante do carrasco do Comercial. Ainda lamento pelos jogadores despreparados que pegaram um time superior ao Barcelona e não souberam se defender do terrível Bafo. (Por um amistoso entre Barcelona e Comercial).

Depois de ser atropelada pelo todo poderoso Comercial, a diretoria da Portuguesa tomou medidas severas para acalmar a torcida e espantar o fantasma do mal futebol: Demitiu o treinador (e só). Afinal, não se mexe em time que está ganhando. E a inocente Lusa vem ganhando visibilidade, goleada histórica, eliminação e humilhação. A única coisa que o clube não ganha é vergonha na cara (nem vou falar de títulos, é utopia).

Sem vergonha na cara, sem time, sem treinador, sem dinheiro, mas com estádio e uma torcida apaixonada, começa o dilema: O que fazer no domingo diante do monstro Comercial? Apoiar ou xingar?

Dá para engolir a goleada, a eliminação e fingir que está tudo bem e apoiar o time? Veja bem, precisamos ganhar domingo de qualquer maneira e xingando os nossos craques da bolas, vamos correr do risco deles ficarem ainda mais “magoadinhos” e não vão ter ânimo e disposição para fazer uma boa partida (ok, eu sei que nunca tiveram). Se continuarmos maltratando esses moços que dão o sangue e suor pela Portuguesa, os coitadinhos não vão se dedicar por completo e corremos o risco de não conseguir o acesso.  Sem dedicação e com a falta de habilidade (ruindade pura) não vamos vencer o terrível Comercial, NUNCA.

Podemos fingir que está tudo bem e aplaudir efusivamente o time da Portuguesa? Podemos elogiar o cabelo do Diego Viana e falar que este é o melhor time da história do clube? Podemos contar até três, respirar fundo e acreditar no time da Portuguesa?

Vamos lindamente para o jogo, vestir nossas maravilhosas camisas da Lupo e apoiar essa equipe brilhante?

Já que estamos em abril, dá para brincar de “Dia da mentira”?

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Protesto

Até o mascote resolveu protestar!

Porra, Portuguesa!


Parabéns, Portuguesa!

Parabéns, jogadores!

Parabéns, diretoria!

A torcida foi paciente até ontem. Os responsáveis perderam a razão quando foram derrotados por 7 a 0. Muito pior do que o 7 a 0 é o descaso com a torcida. Ninguém foi humilde e pediu desculpas. A desculpa não resolveria minha raiva e minha decepção, mas poderia amenizar meu sofrimento. 

E o que me irrita ainda mais é que não tomaram nenhuma medida depois desse resultado vexatório. Ou acham que demitir o Chamusca iria acalmar os torcedores?

Claro que não. Perdemos de 7. SETE. E se não bastava o SETE, agora fomos eliminados na primeira fase da Copa do Brasil. O que esperar desse time e dessa administração?

Parabéns a todos os envolvidos pelo pior ano da história da Portuguesa. Já não bastava o “incrível” 7 a 0, agora fomos desclassificados pelo Naviraiense.

Jogadores: Façam como o Diego Viana, inventem uma dor de barriga qualquer e desapareçam. Tenham vergonha na cara e sumam. Parem de cagar dentro de campo! 

Devo esperar mais alguma coisa de vocês?

(Eu não consegui dormir de decepção e tristeza. Já estou em pé e no trabalho, enquanto os diretores e jogadores dormem e sonham com a próxima derrota.) 

domingo, 14 de abril de 2013

A maior tragédia da Portuguesa

6 a 0. Não tive estômago para ficar até o final...

Sete dias para a criação do mundo. Sete dias da semana. Sete maravilhas do mundo. Sete notas musicais... Sete a zero para o Comercial.

Sete é número de mentiroso?

Não! Sete é o número da tragédia. Da maior tragédia da história da Portuguesa. Já vi a Portuguesa perder, assistir aos rebaixamentos, mas levar sete gols, NUNCA.

Foi uma tragédia anunciada. Quem acompanha a A2 sabe que o time é LIMITADÍSSIMO. Aos “trancos e barrancos” a Lusa ganhava as partidas, mas jogando mal. E, muitas vezes, contou com a sorte.

Diante do Comercial não contamos com a sorte, com os jogadores, com a comissão técnica, com os diretores e com ninguém. Eram onze múmias contra o time de Ribeirão Preto. E o Bafo aproveitou todas as oportunidades e deu um baile na Portuguesa. Com direito a gol do Acleisson. GOL DO ACLEISSON! 

Quando o Acleisson marcou o primeiro gol eu já imaginei que tinha algo muito errado e estranho acontecendo. E aconteceu... Um gol, dois gols, três gols.... SETE gols!

Ali na arquibancada, éramos em mais ou menos 60 torcedores da Portuguesa. Sessenta testemunhas da maior tragédia lusitana. Torcedores que saíram de São Paulo, Campinas, região de Ribeirão e de suas casas em Ribeirão, em uma noite fria, para ver um futebol razoável e viram apenas o time do Comercial jogar.

No fim do primeiro tempo, xingamos, cobramos e fui até o alambrado olhar para a cara de cada jogador. Comeram feijoada ou merda? Não importa. Hoje eles já esqueceram a cagada que fizeram, mas eu não esqueci. Não vou esquecer tão cedo. Talvez nunca esqueça. 

Eu, desconsolada na arquibancada, tentava entender a situação. Olhava para o campo e só tinha vontade de uma coisa: Chorar. A cada gol, aumentava meu desespero, o Bafo jogava e a Lusa brincava comigo e com toda a torcida. Sim, a Portuguesa brincou de jogar bola, tirou sarro da minha cara, me humilhou, me fez passar vergonha e ainda cuspiu na minha cara. 

Aquele time que estava em campo não respeitou a nossa camisa, a tradição do clube, o amor dos torcedores, não deu a mínima para o que estava acontecendo. Se venderam, sujaram o nome da Portuguesa e desrespeitaram um time de futebol. Mexeram com o amor e o fanatismo da torcida. 

E não importa se enchemos uma Kombi, um ônibus ou se lotamos o estádio. Esses merdas, assim que vou chamá-los de hoje em diante, não honraram a camisa e esqueceram que "toda ação tem uma reação". E a reação deve acontecer em breve. Que clube vai contratar um jogador de um time que perde de 7 a 0 na A2? Que torcedor vai respeitar um jogador que perdeu de 7 a 0? 

Esse time, não é o que eu aprendi a amar e ter orgulho de torcer. Esses bostas que jogaram contra o Comercial não me representam. E eu espero que a Portuguesa não espere a missa de sétimo dia para tomar alguma providência. Já demitiram o Chamusca? Já mandaram todo mundo embora? É o mínimo que espero de uma diretoria que tem vergonha na cara.

Alguma coisa precisa ser feita e com urgência! Espero nunca mais presenciar uma barbaridade dessa. Não acabem com a minha Portuguesa, pelamor! Não me façam ler notícias como essa do jornal: A Cidade, de Ribeirão Preto. É muita humilhação para uma torcida tão apaixonada.
Capa do caderno de Esporte.




Isso tem que ter um fim...

0 a 7... Eu fui.

Difícil foi achar a saída. Portuguesa, tem saída?