quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Lusa 2009: O ano dos quintos e dos treinadores

No dia 24 recebi do pessoal do Blá Blá Gol a missão de escrever a “retrospectiva” da Portuguesa. Eles publicaram o texto, com uma seleção de fotos especial para o público masculino. No Boteco da Lusa segue o CTRL C + CTRL V, sem as fotos, mas com todos os links que eles tiveram o trabalho de colocar!!! Aliás, ficou ótimo!



Na numerologia o nove representa o fogo e para a Portuguesa o ano de 2009 foi marcado por uma chamaintensa de emoção, turbulência, escândalo e os 5ºs lugares no Campeonato Paulista e Brasileiro série B.

Foi um ano complicado dentro e fora dos campos, poucas vitórias convincentes, mas muitos momentos de euforia. Em 2009 passaram pela Portuguesa cinco treinadores, muitos jogadores e também aconteceram muitas contusões e confusões que marcaram a história da Lusa no tão conturbado 2009.

No comando de Estevam Soares, o ano de 2008 acabou com o amargo rebaixamento no Brasileirão, mesmo assim ele foi mantido no cargo, realizou a pré-temporada e organizou o time para o Paulistão. Após a primeira rodada do Estadual, e a derrota por 1 a 0 contra o Guarani, o treinador foi mandado embora sem uma explicação convincente.

No lugar do Estevam, a Lusa contratou o Mário Sérgio. Aí começou meu pesado e de boa parte da torcida rubro-verde. Os jogos da Lusa pareciam uma tortura e um a zero era goleada. Foi com Mário Sérgio que a Portuguesa foi eliminada na primeira rodada da Copa do Brasil pelo Icasa, dentro do Canindé. No dia seguinte da eliminação, 05 de março, o treinador foi mandado embora. Mário Sérgio comandou a equipe por 12 jogos (5 vitórias, 5 empates e 2 derrotas).

A fila andou e a diretoria foi atrás de Felipe Scolari e trouxe Paulo Bonamigo, que deu um “meio up” a Portuguesa. O time não melhorou 100%, Bonamigo se perdia nos esquemas táticos, mas por diversas vezes fez com que a Lusa ficasse no G4, em algumas rodadas no Paulista e também da série B. Na última rodada do Paulistão a equipe disputava vaga para a semifinal com o Santos. A rubro-verde precisa vencer o Santo André e torcer pela derrota do time da baixada, que enfrentaria a Ponte Preta. Conclusão: ficamos de fora do quadrangular final.

O  último jogo da Lusa no campeonato Paulista foi o momento de maior intensidade do ano. Um turbilhão de emoções, momentos de alegria e o choro da tristeza no final. Parece até que o torcedor da Lusa está acostumado com isso. Do céu ao inferno em 90 minutos, senti o gostinho de ir para uma semifinal e minutos depois toda a decepção da eliminação. E esse momento resume o ano, porque em diversas vezes o torcedor confiou que o time lusitano chegaria em algum lugar, mas acabou em lugar nenhum. Aliás, acabou em quinto.

Essa rodada gerou os boatos sobre a “mala-preta” e o caso Jean, da Ponte Preta. Mas o presidente da Portuguesa, Manoel Da Lupa, não conseguiu provar nada. Apenas ganhou alguns segundos de destaque no Jornal Nacional.

Com o fim do Paulistão, a Lusa perdeu jogares importantes como Athirson e não houve nenhuma contratação para fortalecer a base da equipe. Outros jogadores, como Christian, Ediglê e Guigov passaram boa parte do campeonato no Departamento Médico e outros revezavam entre o DM e as suspensões de cartões que dificultava para o treinador montar o mesmo time todo jogo.

Com o elenco desfalcado, Bonamigo conseguiu manter, aos trancos e barrancos, o time entre os primeiros no Campeonato Brasileiro. Mas foi mandado embora, dia 05 de agosto, após a derrota contra o Juventude, no Canindé.

A derrota para o time gaúcho foi o ponto inicial para a decadência da Portuguesa no Brasileirão. Demorou uma semana para o clube anunciar um novo treinador, falaram em Leão, Jorginho, Mancini, mas anunciaram René Simões, que foi responsável pela pior fase da Portuguesa na série B e manchetes em todos os jornais e a segunda aparição do ano no Jornal Nacional.

Simões comandou a equipe por 13 dias e em seu currículo colecionou duas derrotas e um empate. O treinador também foi um dos principais envolvidos no caso, um dos mais sujos e tristes da história da Portuguesa, envolvendo conselheiros armados no vestiário. Com isso a Portuguesa ganhou a interdição do Canindé e a saída do treinador.

Na 21°rodada do Brasileirão, na nona colocação e após seis partidas sem vencer, Vagner Benazzi assumiu o time no lugar de René Simões, com uma vitória diante do Fortaleza por 1 a 0. Benazzi  chegou com a missão de recuperar o time desgastado devido ao escândalo do vestiário e correr atrás do tempo e pontos perdidos.

Com Benazzi no comando, a torcida lusitana acreditou que o time retornaria a elite do Brasileirão. A equipe disputou a última vaga até quase a última rodada, mas sem os mandos de jogos no Canindé, e os pontos bobos perdidos ao longo do Campeonato a missão não foi concluída com sucesso. Faltando quatro rodadas para o fim e a obrigação de vencer todos os jogos, a Portuguesa foi derrotada pelo Juventude, em Caxias, e perdeu a possibilidade do retorno a série A.

A Lusa terminou o Campeonato em 5°, posição que não vale nada. Só valeria se a Lusa tivesse mais peso diante da CBF para ganhar o processo contra o Guarani, que escalou irregularmente o jogador Bruno Cazarine. Mas não deu em nada e a Lusa fechou o ano com: cinco treinadores, duas vezes 5ª colocada, a eliminação na primeira rodada da Copa do Brasil e duas aparições no Jornal Nacional. Resultados naturais para um time que não tem planejamento e muito menos uma diretoria que entenda de futebol.



O que esperar de 2010?

A numerologia diz que o 10 está relacionado com a Terra, então será o ano dos “pés no chão”, bola em campo e vitórias Lusa. Ano que espero mais sucesso para a Portuguesa, o retorno para a Série A e motivos bons para abrir muitas cervejas após os jogos lusitanos, o Boteco da Lusa está louco para comandar a festa da vitória, e se for para aparecer no Jornal Nacional, que seja para mostrar o troféu de Campeã…



Desejo a todos os leitores do Boteco da Lusa um 2010 muito especial, com muitas glórias e vitórias lusitanas!!!!!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Boteco da Lusa em festa!!!

O Boteco da Lusa não entra em recesso, pelo contrário, ficará até o último dia do ano esperando novidades da Lusa, para cornetar mais um pouco!

Mas abrirá as portas para a tradicional confraternização de fim de ano e agradece a todos os amigos, boleiros, blogueiros, twitteiros, a torcida lusitana e a adversária, pela companhia e o bom papo de boteco sobre o melhor e o pior do futebol e da Portuguesa.

E deseja que 2010 seja repleto de boas notícias, muitas vitórias e comemorações. Pensamentos positivos para 2010 entrar para a história da Portuguesa...

Então vamos comemorar!!! E aqui não tem champagne, aqui tem a boa e gelada cerveja!!! Vamos abrir os engradados ou as latinhas e comemorar... Tim tim... Sucesso!!!



Boas Festas!!! 

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Saldo positivo em 2008?

A última edição da Revista Exame trouxe um especial sobre a Copa do Mundo. Na reportagem, “Bom de bola, ruim de negócio”,  a Lusa aparece como um dos seis clubes brasileiros que fecharam o ano com o saldo positivo. (Citada apenas no box).

Tem assessor de imprensa que luta a vida toda para que seu cliente tenha uma matéria na Exame ou Valor Econômico, no caso da Portuguesa, essa matéria não foi um release criado pelo assessor e nem um estratégia de marketing para valorizar o clube diante do público da revista Exame.

Portuguesa apareceu lá, por acaso, teria muito mais valor se o especial fosse o Brasileirão e a matéria tivesse um foco assim: Portuguesa fecha o ano com o saldo positivo, mesmo caindo para a série .

Se para o clube o saldo foi positivo, para o torcedor foi negativo. Mais uma vez, assistimos partidas dramáticas, um futebol ruim, pagamos ingressos caros e sofremos até a última rodada para ver a Lusa cair para a série B. Mais um ano sem o tão desejado título.

A Portuguesa é uma equipe, que infelizmente, não consegue colocar mais de 4 mil pessoas no Canindé e não pode comemorar esse “pequeno” saldo positivo, porque tenho certeza que 2009 o saldo foi negativo para o clube, que continuou na série B, se envolveu em diversos escândalos, perdeu mandos de campo, recebeu menos pela cota das transmissões de TV, etc... E sobrou mais uma vez para o torcedor que aturou o descaso dirigentes do clube e da CBF, a desorganização do calendário e da falta de vontade dos jogadores.

Imagine se a Portuguesa colocasse mais torcedores no Canindé, vendesse mais produtos oficiais, tivesse um time competitivo, uma divulgação forte e uma administração melhor. Como seria o saldo no fim do campeonato?

Quantas vezes o torcedor da Portuguesa já entrou em lojas como a Roxos e Doentes e perguntou: Por que não tem esse produto da Lusa? E o vendedor responde: Porque o clube não licencia todos os produtos. (Claro, que aí também tem o descaso dos fabricantes que optam em não fazer nada com a marca da Portuguesa, com medo que o produto fique encalhado nas lojas).

Espero que em 2010, a Portuguesa feche o ano com saldos, resultados e atitudes positivas.

Segue a reportagem na íntegra da Revista Exame.

Bom de bola, ruim de negócio
Por GUILHERME FOGAÇA


Espetáculo em campo à parte, o futebol brasileiro ainda tem um longo caminho a percorrer na gestão dos clubes e no aproveitamento econômico do esporte
Dentro de campo, a supremacia é inquestionável: o Brasil foi o único país que disputou todas as Copas do Mundo, tem a seleção que levantou a taça o maior número de vezes -  cinco -  e está sempre encabeçando o ranking mundial da Fifa. Temido pelos adversários com a bola em jogo, o futebol brasileiro é bem mais modesto longe dos gramados. Em termos de aproveitamento do esporte como atividade econômica, o Brasil ainda está na segunda divisão: 71% dos clubes brasileiros tiveram prejuízo em 2008, as dívidas acumuladas somam cerca de 2,3 bilhões de reais e a receita dos principais clubes brasileiros equivale ao faturamento do Real Madrid sozinho. Lá fora, os principais clubes da Europa viraram empresas, algumas cotadas em bolsa, e movimentam centenas de milhões de dólares. Por aqui, a maioria ainda é tocada na base do amor à camisa. "Em uma frase: falta capitalismo ao futebol brasileiro", diz Robson Calil, sócio da consultoria Deloitte e responsável pelos projetos da Copa do Mundo de 2014.


A dificuldade de aproveitar o potencial econômico do futebol no Brasil começa no degrau mais baixo - a gestão dos clubes. Os times brasileiros são associações sem fins lucrativos, cujo comando não é profissionalizado. Quem conduz a administração são dirigentes voluntários, que não recebem remuneração e, por isso, dividem seu tempo com outras atividades profissionais. Com uma gestão descuidada no campo financeiro, a maioria não consegue transformar o bom futebol em um negócio atrativo. Mesmo as receitas mais óbvias, como as de bilheteria, não são bem exploradas. A segurança precária nos estádios afugenta as famílias, a desorganização dificulta o acesso dos torcedores assíduos e a escassez de camarotes e assentos de melhor padrão impossibilita a cobrança de ingressos de alto valor. O resultado é a baixa ocupação dos estádios brasileiros: em média, cada partida do Campeonato Brasileiro recebe 17 500 torcedores - pouco mais de um terço do público nos campeonatos da Europa. 


Os consecutivos anos de má gestão e de resultados no vermelho deixaram para os clubes uma herança difícil de driblar - o acúmulo de passivos fiscais e trabalhistas. Alguns times, como o Flamengo, chegam a ter uma dívida duas vezes maior do que sua receita anual. Com as contas apertadas, os clubes recorrem àquela que é a principal fonte de financiamento do futebol brasileiro: a venda de jogadores. Dados da Casual Auditores Independentes, auditoria paulista especializada em clubes de futebol, mostram que a renda obtida pelos principais times brasileiros com a negociação de atletas em 2008 chegou a 397 milhões de reais, quase um terço da arrecadação total. "Os clubes aqui só conseguem sobreviver se vendem jogadores", diz o economista Luiz Gonzaga Belluzzo, presidente do Palmeiras.


 Pior para o torcedor, que tem de assistir pela televisão ao sucesso de seus craques lá fora. A necessidade de vender atletas para recompor o caixa fez do Brasil a maior usina de formação de jogadores no mundo - a venda para o exterior ultrapassa a casa dos 1 000 atletas por ano. Nos campeonatos europeus, os brasileiros lideram o ranking das nacionalidades, com mais de 500 jogadores profissionais em campo- à frente de França e Portugal, por exemplo.


O Brasil já exportou atletas para os gramados mais remotos, como a ilha mediterrânea de Chipre e a ex-república soviética do Azerbaijão. Há um subproduto interessante da posição de fornecedor oficial de jogadores: a migração constante de atletas acaba criando mais espaço para o desenvolvimento de novos craques internamente. O que hoje é uma salvação para as finanças dos clubes, no entanto, poderia ser uma verdadeira máquina de captação se fosse feito com maior planejamento. Como precisam de dinheiro imediato, os times costumam vender para investidores locais participações minoritárias nos direitos econômicos dos jogadores antes mesmo de eles se tornarem alvo de ofertas.


Quando o jogador fica conhecido e é arrematado por outra equipe, os clubes levam uma fatia menor da bolada. ?Se os times estivessem mais fortalecidos financeiramente, não precisariam se desfazer de seus jogadores em um estágio tão inicial?, diz o empresário Giuseppe Dioguardi, agente da Fifa que investe em participações de jogadores brasileiros.No mercado internacional, principalmente na Europa, a realidade é bastante diferente. A maioria dos clubes funciona como empresa, com metas e gestãoprofissionalizada. Os estádios ganharam feições de shopping center, com lojas e restaurantes, e possuem áreas vip para reuniões de executivos. Uma dasreferências é o inglês Manchester United, que há seis anos lidera a lista dos times mais valiosos do mundo, segundo a revista americana Forbes. Avaliado em 1,9 bilhão de dólares, o clube é visto pelos especialistas como exemplo de diversificação de receitas e de bom uso da marca, que atrai torcedores e consumidores de todo o mundo.


Pelo site do Manchester, é possível comprar ingressos sem filas, adquirir camisetas e acessórios do time e contratar serviços financeiros, como cartões de crédito e seguros. ?Lá fora, os clubes têm uma visão comercial desenvolvida, ao contrário do que acontece no Brasil?, diz Felix Álvares Garmon, vice-presidente da IMG, uma das maiores agências de marketing esportivo do mundo. O desenvolvimento econômico do futebol inglês, no entanto, só ocorreu após um esforço coletivo por parte dos clubes e do governo. Degradado pela violência nos estádios, na década de 80, o esporte na Inglaterra lutou para transformar a baderna dos hooligans em um mercado economicamente atrativo. O marco para a mudança foi a tragédia ocorrida em abril de 1989, quando 96 torcedores do Liverpool morreram esmagados pelo excesso de público em uma das alas do estádio Hillsborough, na cidade de Sheffield. O episódio deu origem a uma série de medidas de reestruturação, como melhorias na segurança e na estrutura dos estádios.


Hoje, diversos clubes estão nas mãos de investidores, como o Manchester City, cujo principal acionista é o Sheikh Mansour, um dos 19 irmãos do presidente dos Emirados Árabes Unidos. ?A Inglaterra fez uma verdadeira revolução, que só seria possível no Brasil com um conjunto de mudanças, desde as finanças dos clubes até a qualidade da arbitragem e o aumento de transparência da CBF?, diz a economista Elena Landau, ex-diretora do BNDES.


Os impérios formados pelos clubes europeus, no entanto, enfraquecem o característico efeito-surpresa do futebol. Na Espanha, os gigantes Real Madrid e Barcelona formaram um duopólio: nos últimos 25 campeonatos, eles levaram a taça 21 vezes. ?Cada país europeu tem, no máximo, quatro times de ponta.


No Brasil, normalmente existe uma dúzia de clubes no páreo?, diz André Coutinho, sócio da consultoria KPMG responsável por projetos ligados à Copa. Bom para o campeonato local, que tem uma disputa mais acirrada, ruim para as finanças dos clubes, que ficam com o poder disperso na hora de negociar. Na venda dos direitos de transmissão dos jogos pela televisão, cada um dos principais times brasileiros recebeu cerca de 34 milhões de reais em 2008 - o equivalente a um quarto dos ganhos do alemão Bayern de Munique com a venda dos direitos de transmissão dos jogos.  


O futebol brasileiro passou por uma tentativa de melhoria na gestão por volta dos anos 2000, quando alguns fundos de investimento aportaram em clubes locais. O fundo texano Hicks, Muse, Tate & Furst fez um contrato de cerca de 60 milhões de dólares com o Corinthians para explorar a marca do clube. Outros times, como Cruzeiro e Vasco, também receberam dinheiro de sócios capitalistas.


A dificuldade de pôr a casa em ordem, somada à conjuntura econômica desfavorável - crise da internet no mundo e desvalorização do real no Brasil -, fez as parcerias desandar. ?Todo investidor busca retorno financeiro, mas os fundos não tiveram a receita que esperavam?, diz Lorival Santos, ex-consultor técnico do Hicks, Muse. Em 2005, a esperança de acabar com a caixa-preta do futebol brasileiro ressurgiu com um projeto de lei que previa o aumento das exigências de transparência dos clubes - quem não prestasse contas com o aval de uma auditoria externa correria o risco de ficar de fora dos campeonatos. Até agora, no entanto, as mudanças não passaram pelo Congresso Nacional.


Recentemente, alguns clubes brasileiros começaram a dar passos para a melhoria da situação econômica. O São Paulo adotou planos de diversificação de receitas e fortalecimento da marca. Uma das iniciativas foi a criação da grife SAO Store, rede que tem loja na rua Oscar Freire, centro de consumo de luxo da capital paulista. No estádio do Morumbi, o São Paulo instalou livraria, restaurante e casa de eventos - e prevê o lançamento de uma academia de ginástica no próximo ano. ?Com as iniciativas, a visitação diária passou de 300 para 3 000 pessoas de 2002 para cá?, diz Julio Casares, vice-presidente de marketing do São Paulo.


Medidas como essa fazem com que o São Paulo seja responsável por 30% dos 168 milhões de reais arrecadados em 2008 pelos principais clubes brasileiros com receitas alternativas - que excluem ganhos com transferência de jogadores, bilheteria, patrocínio e televisionamento. O Internacional, de Porto Alegre, fez campanhas de marketing para aumentar o número de sócios - em julho, o clube atingiu 100 000 associados, constituindo a sexta maior base de sócio-torcedor do mundo. Segundo Décio Hartmann, vice-presidente de administração do Internacional, a receita com a mensalidade dos sócios representa 30% dos ganhos. São passos tímidos, mas podem indicar um caminho. Em um país onde as torcidas formam verdadeiras nações de consumidores, o futebol tem de se provar capaz de gerar bons resultados também fora dos gramados.  

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Copa do Brasil: Lusa enfrentará o Roraima

A CBF divulgou a semana passada a tabela da Copa do Brasil. A Lusa enfrentará, na primeira fase, o Atlético Roraima Clube (RR), no dia 24/02. O último título do time de Roraima foi do disputado campeonato roraimense de 2008.

Pela expressividade do time do norte lembrei que em 1997 a Lusa enfrentou o Kaburé (TO) e conseguiu empatar o primeiro jogo lá em Tocantins por 1 a 1.

O segundo jogo aconteceu em uma tarde, no meio da semana, no Canindé. Eu era uma simples estudante de colegial e minhas obrigações estavam restritas aos livros e cadernos (tempos bons) segui para o Canindé com meu irmão e meu pai (que sempre foi autônomo).

O estádio estava mais vazio que o normal e a Lusa venceu o time de Tocantins por 8 a 0, foi a maior goleada que presenciei no Dr. Oswaldo Teixeira Duarte.

Os jogadores, que estavam no banco de reserva, do desconhecido time do Tocantins passaram boa parte do tempo tirando fotos do Estádio.

Nesse ano o campeão da competição foi o Grêmio, que eliminou a Portuguesa nas oitavas de final. (Mais um bom motivo para eu odiar o Grêmio e o Danrlei).

Espero Lusa faça uma boa campanha na Copa do Brasil, que entre para disputar a final e que não seja eliminada pela Roraima, Icasa, etc.... Tá na hora de começar uma competição com um só objetivo: o título.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Carta ao Presidente

Exmo Sr. Ricardo Teixeira

Venho por meio deste cumprimentar o excelentíssimo pela agilidade na avaliação do processo do jogador do Guarani Futebol Clube, Bruno Cazarine que foi inscrito no Campeonato Brasileiro Série B irregularmente.

A Fifa já deu o parecer sobre o caso, mas falta a CBF se manifestar.

O nome do Bruno Cazarine foi publicado no BID e na CBF. Li em diversos sites que a culpa não é do Guarani.

Se a culpa não é do Bugre, de quem seria? Da CBF? E o Guarani será punido?

Qual o prazo que a CBF tem para dar um parecer? E a Justiça Desportiva?

E o torcedor que foi lesado pagando os ingressos, assistindo os jogos às 21h50, pegando chuva, freqüentando estádios de segunda com infraestrutura de quarta, sem nenhum tipo conforto e segurança, adquirindo o pacote do pay per view e usufruindo os produtos dos patrocinadores da CBF?

Por que existe regulamento, se não é cumprido?

Espero que o caso seja resolvido rapidamente e que o torcedor seja o verdadeiro beneficiado com a decisão. E que a decisão seja justa, conforme o regulamento. .

Sem mais,

Michelle Abilio

OBS: O e-mail será encaminha para o ouvidor da CBF (série B) Antônio Álvares Miranda (miranda.ouvidor@cbf.com.br )

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Brasil fora da Copa???

Imagine o Brasil fora da Copa. Agora imagine a seleção canarinha fora da World Cup 2010, por causa da Portuguesa e o caso não resolvido do jogador do Guarani Bruno Cazarine.

Só de imaginar esse cenário eu dou risada, dou gargalhada e o sentimento de vingança cresce, como nos filmes de Tarantino. Claro que não quero ver sangue, mas às vezes sou fã incondicional da Shoshana (Bastardos Inglórios, quem não assistiu, assista!).

A torcida brasileira que já se prepara para cantar: “Noventa milhões em ação, pra frente Brasil, do meu coração...” terá ódio da Lusa e irá olhar para a Portuguesa com o respeito que nunca olhou antes. A CBF nunca mais irá deixar a Associação Portuguesa de Desportos no escanteio ou no vácuo.

Todos iriam aprender que mexer com a Lusa não será mais brincadeira, que a Portuguesa tem que ser respeitada e a fama de “queridinha” mudaria para “odiada” e o ódio impõe respeito. Tudo que é muito legal, muito bonzinho enjoa. Tenho a impressão que os “queridinhos” são sempre aqueles com cara de tonto!

A Lusa tem que ser querida por sua torcida e os simpatizantes que sequem do lado de fora. Essa fama de “queridinha” já encheu. Muitas vezes esse “queridinha” tem o sinônimo de bobinha, porque sempre é usada de exemplo para alguma punição, nunca o exemplo foi para algo positivo.

Eu estou esperando uma atitude de CBF, estou esperando a punição do Guarani e acredito na Lusa na série A.

A ideia do Brasil fora da Copa é utópica, mas se os patrícios tiverem um peso importante na Fifa, aposto que a bunda dos dirigentes da CBF já estão coçando e eles já começam a olhar para a Portuguesa com mais respeito. Está na hora da CBF rever os conceitos em relação a Portuguesa.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Quais foram as lições do Brasileirão 09?

Enfim, depois de sete meses acabou o Campeonato Brasileiro e considere esse “enfim” como se fosse um “ufaa” ou “ainda bem”.

Se as últimas duas rodadas foram emocionantes para quem não estava envolvido com nenhum clube que disputava o título ou rebaixamento imagina para quem estava.

Eu estava ali, do outro lado, analisando friamente o que acontecia! Minha torcida era contra alguns times que iriam cair para a série B que, provavelmente, vão jogar com a Lusa o ano que vem. (Eu tenho esperança que o Guarani seja punido e que a Lusa dê a volta por cima).

O Fluminense deu o verdadeiro exemplo de superação e se tivesse mais um turno certamente seria candidato ao título.

O Botafogo deu sorte de pegar na última rodada um Palmeiras fraco e desgastado.

E o Coritiba?

O que falar daquela torcida linda que fazia uma festa brilhante antes do jogo e depois foi literalmente para guerra estragando sua imagem, acabando com o verdadeiro espírito do futebol. O que falar de pessoas que não são fanáticas, são burras e ignorantes e que esquecem que futebol é esporte, paixão, entretenimento, diversão e só! Não pode ser levado tão a sério. É gostoso tirar sarro do time adversário, mas só, partir para agressão não importa o motivo é desprezível e lamentável!

Santo André, Náutico e Sport já tinham carimbado o passaporte para a série B nas rodadas anteriores e estavam a treinando para pegar o único time “grande” da B, minha Lusa.

E a disputada pelo título??

O Internacional sentiu a emoção, quase colocou a faixa, mas não dá para confiar no maior adversário do time gaúcho. Estava claro que o Grêmio não ajudaria o Colorado. O título era do Flamengo, desde a rodada anterior. Alguém sonhou que o Internacional seria campeão?

Apesar das emocionantes rodadas, sinto que falou alguma coisa no Brasileirão. Talvez o espírito do futebol. O tesão do futebol está se perdendo por conta dos interesses extra-campo, não existe mais o futebol pelo futebol. E acreditar que talvez um dia isso volte é utópico! O dinheiro está acima de tudo e goleia o futebol puro, inocente e sem interesse!

Defendo o sistema de pontos corridos, mas até que ponto vale a pena entregar o jogo para prejudicar um rival? E a honra? A história? E a credibilidade?

Sair por aí dizendo que o Grêmio entregou o jogo e que o Santos deu a vaga da Libertadores para o Cruzeiro chega a ser uma mentira se analisarmos todas as 38 rodadas.

Foi campeão o time que teve mais pontos durante 38 rodadas e quem ficou para trás foi por pura incompetência. Não esqueça das derrotas bobas, dos gols perdidos, da má administração, os empates em casa e dos frangos. Seu time não ganhou o título por causa disso, não por causa de time A, B ou C... Culpar o time alheio pelo insucesso é muito fácil!

O Flamengo merece esse título? O Andrade, sim e os demais jogadores? Algum outro time merecia esse título? Pontos corridos é a melhor forma para definir o campeão? Existe uma outra maneira que seja justa?

O Brasileirão de 2009 dá adeus mostrando que o sistema de pontos corridos é legal, mas deixa algumas dúvidas, vários times quase colocaram a faixa de campeão, mas caíram por incapacidade, a torcida fez a festa, mas também foi a grande vergonha e que torcidas desorganizadas devem ser punidas!!!

Coritiba, Santo André, Náutico e Sport nos encontramos em um campeonato mais emocionante, a série B! Futebol só tem graça com a Lusa em campo, o resto é resto...

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Uma luz no fim do túnel: Lusa na elite do Brasileiro?

Nunca apoiei e ideia e nem acreditava que daria em alguma coisa o recurso contra o Guarani. O gostoso do futebol é a disputa em campo, os gols, a vibração da torcida, etc. Mas agora a Lusa respira em direção a série A, por uma medida apoiada pela FIFA (que tem muito mais credibilidade que a CBF).

Não é tapetão! É regra! E as regras foram feitas para serem cumpridas, não é? Se fosse ao contrário a CBF não pensaria duas vezes e a Lusa já estaria chorando na série C.

O Guarani escalou o jogador Bruno Cazarine irregularmente e está escrito e registrado em algum cartório que um jogador não pode atuar em mais de dois clubes na mesma temporada.

Caso a CBF puna o Guarani, o time perderá 24 pontos e lamentavelmente (não é uma ironia) será rebaixado para a série C. E a Lusa dará a volta por cima com o acesso (merecido) para a elite do Brasileirão.

Parece que pela primeira vez na história rubro-verde, a minha querida Portuguesa, será justamente beneficiada por exigir que a regra seja cumprida. Ela não será beneficiada por alguma manobra irregular, portanto não é tapetão.

Mas é preciso cautela e minha desconfiança é grande. A Lusa depende do aval da CBF e isso me dá medo...Lembrando que a Lusa foi bastante prejudicada no Campeonato devido a interdição do Canindé.

Respiro feliz com essa “luz” no fim do túnel.

Mas não posso comemorar, porém já penso em tirar a placa de “Vende-se” da Kombi, com o rodízio de final 3, porque tenho esperança de ir aos jogos de quarta-feira e comemorar as vitórias lusitanas no Brasileirão!

07_11_24_Lusa 025

sábado, 28 de novembro de 2009

Empatou com o Campinense???

"Grande" despedida da Lusa, ontem no Canindé. Deixa qualquer torcedor "animado" para o Paulistão!!! 


Parei de ouvir o jogo no fim do primeiro tempo e a Lusa vencia por 1 a 0, no jogo mais sem graça de todo o campeonato. Me deu mais sono do que o filme Lua Nova.

No dia seguinte descobri que a Lusa tinha empatado. Para um jogo que não valia nada, o empate foi o melhor resultado.

Se a Lusa tivesse vencido, ficaria com um ponto a menos que o Atlético-GO. Deixaria qualquer torcedor muito mais “puto” do que o normal.

Não vou mais lamentar os empates e as derrotas no Canindé, mais uma vez a Portuguesa não fez por merecer e continuará na série B.

E tapetão... É vergonhoso! Se subir no tapetão não vou mais para o Canindé (no Brasileiro, porque vou para o Campeonato Paulista) !!! Deixa o Guarani comemorar a sua classificação. Futebol se resolve dentro de campo.

Já pode apagar a luz? Ou o torcedor lusitano espera mais emoções esse ano?


quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Quanto vale Lusa e Campinense?



Amanhã a Lusa se despede do Campeonato Brasileiro (B) com a certeza que no próximo ano estará no mesmo lugar, na emocionante série B.

Mas a realidade é que a série B nem foi tão emocionante assim para o time rubro-verde. Algumas vezes esteve bem chata, outras vezes desanimadora! E para a Portuguesa houve uma pitadinha de pimenta, por conta de uma invasão maluca no vestiário, uma história mal contada e que até hoje não sei direito o que aconteceu.

De emocionante no Canindé, acho que só o Lusa X Guarani, que eu não fui. De resto alguns joguinhos com vitórias suadas, derrotas imperdoáveis e empates ridículos.

Foi difícil sair do Canindé satisfeita com alguma partida, talvez uma vez, ou meia vez, não lembro... Mas me lembrou todos os momentos que sai revoltada e frustrada com o baixo desempenho do time, com os erros bobos de alguns jogadores, com a falta de gol, a falta de atitude, a falta de vontade, a falta de uma promoção para incentivar o torcedor, a falta de torcedor, etc...

E não adianta culpar X ou Y pelo fracasso e nem mesmo a perda dos mandos dos jogos no Canindé. Pois a principal responsável pela permanência do time na série da emoção tem nome: Associação Portuguesa de Desportos.

E amanhã a Lusa fecha seu ciclo em 2009 contra o rebaixado Campinense. Um jogo que não vale nada, nem os três pontos. Uma partida que deveria ser de graça, mas se alguém for, pagará R$ 20 pelo ingresso.

Acho que o clube deveria pagar para eu ir nesse jogo e agradecer por todas as partidas que fui e passei nervoso no Canindé (não só eu, mas toda a torcida). Não pagaria nem cinco reais para assistir esse jogo, quanto mais R$ 20. Quanto vale Portuguesa X Campinense?

Não vale nada em campo, não vale nada no meu bolso e não vale nem para saber quais os jogadores que devem ficar ou partir.

Não vale nem para saber o grau de prestígio que o time tem com a torcida ou a torcida com o time. Não vale nem pela consideração, porque essa eu já tive o campeonato todo. Não vale nem para cornetar porque o resultado não vai mudar em nada a classificação no campeonato e não vale nem para tomar uma cerveja, porque provavelmente estará quente... Afinal, vale para alguma coisa esse jogo?

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Carimbei a faixa do Vasco...

... e coloquei água no chopp dos vascaínos.


Um jogo sem muitas emoções. O time carioca não estava muito preocupado com a partida e a obrigação da Lusa era azedar a festa do Vasco. Na realidade grande parte dos vascaínos nem se importou com a derrota por 1 a 0, mas eu saí feliz, feliz...

Sábado, 21 de novembro saí da praia mais cedo e fui para o Maraca torcer pela Lusa na partida da entrega da taça para o Vasco. Praticamente uma final (rsrs). Também fui fechar minha participação nesse campeonato com chave de ouro. (Não teria graça assistir outra partida lá, que não fosse a do meu time). No trajeto até o estádio os relógios registravam 40° e a sensação térmica de 50°. Um calor insuportável!

A cidade respirava futebol. Os quatros grandes clubes cariocas estão em fase decisiva. Botafogo e Fluminense brigam para ficar fora da série B, Flamengo disputa o título do Brasileiro e o Vasco campeão da série B. Por todos os lados, bandeiras penduradas nas janelas e sacadas, a população desfilava com suas camisas pelas praias, Lagoa, shopping, etc...

No caminho respondia perguntas: Quem é o craque? O artilheiro? O cara que vai definir a partida? Etc...

Nenhuma pergunta ficou sem resposta, mas confesso que menti diversas vezes dizendo “o fulano” é fantástico, goleador craque do Canindé!

Esperava o Maracanã lotado, aquela festa bonita e que não iria me controlar no meio de vascaínos, mas o estádio tinha menos de 30 mil pessoas e foi muito tranquilo e muito bom.

Não fiquei no meio da torcida organizada do Vasco, porque seria demais, mas estava ali, do outro lado da arquibancada, no meio de vascaínos, mas em menor quantidade e desenvolvi técnicas infalíveis de camuflagem.


Palavrões e xingamentos são palavras neutras que são usadas quando o goleiro defende ou o atacante chuta mal. Enquanto a torcida da Cruz de Malta xingava o Carlos Alberto por ter perdido o gol, eu gritava a mesma coisa, mas pela defesa do Muriel...

E para a minha felicidade no momento do gol do Fellype Gabriel, “o craque”, eu estava em pé e comemorei tranquilamente, mas o meu desejo era gritar e calar o Maracanã, como a torcida do Vasco fez no Canindé.

Depois era esperar e torcer para o jogo acabar logo para eu ver a volta olímpica e a alegria vascaína.

Com a vitória lusitana, provamos que o Vasco não é lá essas coisas e que nenhum dos quatro times classificados são excepcionais. Decepcionante é ver a Lusa fora da série A e essa foi a série B mais fácil de todos os tempos. Ganhamos de todos os times classificados!

Frustrante é ver a Lusa no Maracanã em um jogo que não valia nada, mas saí feliz como se meu time tivesse levado o título. Afinal, ganhou a final, mas quem levou a taça foi o Vasco!

Ah... e o Maracanã é mágico! Merece o jogo de encerramento da Copa e a cidade do Rio também!


terça-feira, 17 de novembro de 2009

Imaginar, Planejar e Executar...

Todo o ano o mesmo sentimento. Chega meio de novembro e começa aquela melancolia de fim de ano e a sensação que tudo passou muito rápido e eu pouco fiz, mas na verdade fiz muito, muitas vezes nem parei para dormir.

Com o fim do ano, também chega ao fim o Campeonato Brasileiro e o campeonato mais importante nacional: a Série B. A sensação é que esse torneio também passou rápido, mas alguns jogos parecem que duraram uma eternidade.

A Lusa correu também, mas acho que não chegou em lugar nenhum, morreu no Canindé, como sempre!!!

No Campeonato Paulista ela quase chegou, mas confesso que já cansei desse “quase”.

Na Copa do Brasil... melhor deixar o comentário para uma retrospectivas de 2009...

E a Série B foi marcada por altos e baixos, mas muito mais pontos negativos do que positivos. Não vou nem recordar momentos de escândalos no Canindé. Mas não é normal um time trocar três vezes de treinador no mesmo campeonato! E quantos técnicos passaram pela Lusa esse ano? 5? 6?

Isso é a prova da falta de estrutura e planejamento, principalmente para campeonatos longos e de pontos corridos.

A Lusa não precisa do artilheiro da moda que ganha milhões e nem de um técnico cotado para dirigir a seleção Brasileira. Em primeiro lugar, a Portuguesa precisa de um planejamento. Porque o time está sempre no discurso do “quase”, “se”, “talvez”, “quem sabe”...

Por isso, acho de extrema importância começar AGORA a colocar metas para o Paulista. Não dá para depender sempre da sorte e dos resultados dos adversários para chegar em algum lugar, não é?

As próximas duas rodadas servem para definir aqueles que vão emboras e os que continuarão com o privilégio de defender as cores rubro-verde...

Mas o matemático Oswald de Souza (ele existe e tem twitter @oswaldsouza, sempre achei que era uma lenda), fez um levantamento que aponta que a Lusa tem 3,6% de chances de classificação.

Mas infelizmente eu não acredito em milagres e nem Papai Noel, por isso, é hora sim de pensar no Paulista!!!

Ah, já pode começar as promessas para 2010???

1ª Promessa: Cornetarei a Lusa até o momento que ela ganhar uma final... Depois vou comemorar e no dia seguinte continuarei cornetando..

E sábadão, tem Vasco. Espero uma grande festa dos patrícios...

sábado, 14 de novembro de 2009

Mais um ano na série B.... (Infelizmente)

Não fui para o Canindé, mas isso não quer dizer que não tinha esperança, porque eu tinha. Não tinha ânimo e faltava coragem para assistir mais um sofrido jogo lusitano. Mas confesso que adoro ir ao Canindé de sexta-feira e não ter que me preocupar com o ato de “bater” o cartão no dia seguinte, mas também estava louca para rever os jogos da equipe rubro-verde aos domingos.

Viajei e por aqui estava sem luz, sem transmissão e eu sem paciência com a bateria do “Nô” (apelido carinhoso do meu companheiro notebook), recorri ao bom e velho rádio a pilha.

Pelo que ouvi a Lusa atacou bastante, mas sem finalizações. Daí o time de Duque de Caxias foi lá marcou o primeiro e a Portuguesa teve que correr atrás do resultado em pleno Canindé.

A Lusa havia perdido do time carioca no primeiro turno, mas empatar com o fraquíssimo Duque, no Canindé é brincadeira e desanimador. E o empate só foi possível com o gol de pênalti. Se a Lusa tinha um pouco de vontade em se classificar, no mínimo tinha que ser uns 4 a zero esse jogo. E provar para os torcedores que deixaram de ir ao Canindé, que esse era o jogo da classificação.

Às vezes tenho a sensação que a Lusa (tudo que engloba Associação Portuguesa de Desportos) quis permanecer na série B.  A competição não foi forte, os times estavam fracos, mas faltou competência para a equipe.

Como a Portuguesa consegue ganhar dos mais fortes como o Guarani, Figueirense, Ceará, Atlético-GO (turno e returno) e empatar ou perder desses times que beiram a zona de rebaixamento (se não estão lá deveriam estar)???

Mais um ano na série B. E não adianta provar que ainda tem 0,001% de chances de classificação porque não vou me iludir. Aliás, o torcedor lusitano é um eterno iludido.

Mas como estarei em terras cariocas no próximo fim de semana, vou até o Maracanã ver a festa do Vasco. Depois o Maraca entre em reforma e sabe lá quando terei outra oportunidade. Iria assistir Flamengo e Goiás, mas entre Lusa X Vasco e Flamengo X Goiás, sou muito mais o jogo do meu time (que me faz sofrer, mas é querido).

Eu lamento demais esse resultado da Portuguesa, lamento meu permanente mau humor que continuará todas às quartas e o pior a certeza que ó próximo ano será difícil, complicado e sofrido, como esse e como grande parte da história rubro-verde.

Agora é hora de parar e planejar o Paulista, afinal o torcedor está cansado de sofrer, a equipe precisa ser forte e disputar com igualdade com os demais “grandes” clubes e o Benazzi deve continuar, nada de troca de comando...

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Vamos para o Canindé???

Parece até brincadeira, mas com chances mínimas do time conseguir a classificação para a série A, a diretoria anunciou os valores dos ingressos para o jogo contra o Duque de Caxias, na sexta-feira, 13.


E para retribuir todo o carinho e apoio da torcida durante todo o campeonato, os ingressos não tiveram os valores reduzidos. Portanto, a arquibancada continua R$ 20 (inteira). Mas como a direção da Portuguesa é super esperta manterá a promoção de mulheres e crianças.

Para a sua sexta-feira, 13, não virar um pesadelo eu aconselho ir para o boteco mais próximo do serviço ou de sua casa, você vai economizar com o ingresso, estacionamento e não assistirá um jogo “meia boca” e de quebra pode pedir para o garçom colocar o jogo na TV a cabo.

Ou melhor, vá para praia, para a balada, vá ao cinema (Michael Jackson This is It, é imperdível) esqueça o time, esqueça o clube... Essa é a maior prova que eles não estão nem aí para os torcedores.

Penso seriamente e fazer qualquer coisa, menos aparecer no Canindé... (Posso mudar de ideia, mas só amanhã, afinal mulher é de graça!)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Apagão no campo e no Brasil...

E apagou a luz do time rubro-verde, a Lusa não jogou nada e na hora de postar deu "blackout"... Também não tenho muita coisa a escrever, infelizmente, as coisas não foram da maneira como o torcedor da Lusa gostaria.

Para aqueles que tem esperança, espero que vocês estejam certos. Já não  acredito mais no acesso, uma pena!

1 a 0 para o Juventude.


Como muitos outros jogos, a Lusa não entrou para vencer.

Sempre as mesmas desculpas...

Infelizmente continuamos na série B

E a torcida da Lusa, será sempre a sofrida torcida da Lusa...

Esperar o que???

Aquela “puta” promoção da diretoria...Que não fez nada até agora e nem vai fazer.

A certeza, o ano que vem será a mesma coisa, as mesmas desculpas e o mesmo time medíocre!

Minha vontade é de xingar, mas deixa pra lá...

A Lusa segue na série B e eu sigo triste...

Grandes decisões na 35ª rodada...



A série B promete uma rodada completa de muitas emoções.

Quatro times disputam duas vagas no G4 e a briga é mais apertada no fim da tabela para a permanência na emocionante série B.

No sul, a Lusa (57 pontos), que só pode pensar em vitória, enfrentará o Juventude, com 40 pontos. O time do sul corre atrás dos pontos perdidos para escapar do rebaixamento e a administração gaúcha dá exemplo para a administração lusitana e reduz o valor do ingresso para quatro reais. Se o clube quer a presença da torcida tem que incentivar e isso sim é uma promoção de verdade. E aí Lusa, teremos uma promoção de verdade para o jogo contra o Duque de Caxias na próxima sexta-feira??

Já o Guarani (62 pontos), que tropeçou os últimos jogos, recebe em Campinas, o Ipatinga (42). O bugre ainda não tem sua vaga garantida e assim como o confronto da Portuguesa e Figueirense, a disputa garante vantagem para a série A para um time ou a aproximação da série C, para outro.

Em Goiás, o Atlético-GO (59), enfrentará o Ceará (63). O Ceará quer se confirmar como o vice da competição e o Atlético quer manter a distância da Lusa e Figueirense. Sou Ceará desde de criancinha, mesmo não gostando de fazer parte da torcida dos secadores.

Em Natal, mais um jogo dos apostos, o América-RN (39) recebe o Figueirense (57).

Nenhum jogo será fácil na 35ª rodada da série B, a única coisa que espero é a vitória Lusa e se acontecer um tropeço de algum adversário direto, melhor ainda. Sinto “butterfly in my stomach” que continuará caso a vitória da equipe rubro-verde seja confirmada! Estou confiante e acredito no acesso...

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Um fim de semana para "secar"

Parafraseando o Xico Sá, esse fim de semana será um pouco “amigo secador”. (A coluna do Xico é a minha preferida na Folha de S.Paulo).


Nunca gostei da ideia de torcer contra time X ou Y, sempre preferi torcer para o meu e ponto. Se for torcer contra algum time esse sempre será o Corinthians. Existe coisa melhor do que tirar sarro do pessoal da Marginal sem número? 

Acredito que o futebol é disputado no campo e que os melhores no gramado merecem um lugar de destaque.

Sou contra a “mala branca”, mesmo porque a Lusa sempre foi a prejudicada e seguindo meus conceitos de justiça: “não faça com outros o que você não gostaria que fizesse com você”, sou contra qualquer tipo de “mala” e não gostaria de ver a Lusa envolvida em boatos ou verdades sobre essa “ajudinha amiga”. (Mas ver o time dos outros envolvidos, sem prejudicar a Lusa, é ótimo). O resultado deve ser disputado no gramado, e esse ano, a Portuguesa já esteve envolvida em diversos escândalos.

Quero ver a Lusa nos jornais, até na Folha de S.Paulo, mas com um foco positivo...

A Lusa só joga dia 10 e desde de terça-feira, meus dias foram mais tranquilos e felizes. Perdi até um pouco do mau humor, que convive comigo desde o dia em que nasci. Portanto, a Lusa precisa continuar no G4 e entro para o time do “secador”.

Hoje a tarefa é secar o Figueirense que enfrenta o fraco Campinense, mas o dia foi tão lindo, a noite está quente, a cerveja está gelada, que para completar o fim de noite só resta o milagre do Campinense.

E amanhã a torcida é do Guarani e contra o Atlético-GO.

Ah.. Só farei esse sacrifício de “secador” porque acredito que a Lusa ganhará os próximos quatro jogos. Vestir a camisa rubro-verde e fazer o papel de “amigo torcedor” é muito melhor do que secar qualquer time.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Vitória Lusa e o retorno para o G4


Terça-feira quente. A noite pedia cerveja para refrescar e um bom jogo para animar a torcida rubro-verde, que estava com saudades do Canindé.

(Momento poético da partida) A lua cheia iluminava o estádio e a luz refletia nas camisas lusitanas. O estádio refletia as cores rubro-verde e a torcida estava vibrante. (Fim do momento poético). Estávamos em 3.500 pessoas, os de sempre, talvez um pouco mais, mas nenhum surpresa de bilheteria. Depois do bom jogo contra o Guarani, estava confiante e acreditava em uma boa vitória. Esperava mais torcedores, também esperava uma promoção de verdade e uma goleada lusitana...

Mas logo nos primeiros quinze minutos um susto para a torcida lusa, gol do ABC. Aí começou o sofrimento. Passou um filme na minha cabeça, mais um ano na série B, mais um ano reclamando e sofrendo. Mas minutos depois a Lusa mostrou de quem é o mando do jogo e Heverton fez o gol do empate.

Mesmo com o empate a Lusa não melhorou em campo, pouco ataque, muitas bolas perdidas no meio de campo e até possibilidades de gols do time nordestino.

O que esperar de um trio de arbitragem carioca?

Cartões para a equipe rubro-verde e várias faltas da equipe adversária sem punições.

Lusa é sempre contra tudo e contra todos?

O time não pode contar com a sorte para vencer, tem que correr atrás mostrar raça, jogar futebol e fazer gols!

Esperava mudanças depois do intervalo, mas o time voltou para o campo igual.

A virada só aconteceu aos 15 minutos com o gol Bruno Rodrigo. E mais uma vez, esse jogo quase matou meia dúzia de torcedores com problemas cardíacos. Eu contava os segundos para o final da partida.

O que surpreendeu foi a entrada de Christian no lugar de Zé Carlos, um dos melhores em campo. Em diversos momentos Zé Carlos chamou a responsabilidade para ele e cobrou mais “raça” dos seus colegas. Não era o momento para o Christian, que ainda está fora de forma, e mostrou que não tem fôlego para mais do que 20 minutos em campo.

Mas no final conseguimos os três pontos, tomei mais uma cerveja, comemorei a vitória da Lusa e fui dormir no G4, pelo menos, por alguns dias durmo feliz com a Portuguesa.

A próxima decisão: dia 10 de novembro, contra o Juventude!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

E a Lusa volta a jogar no Canindé...

Depois de alguns meses a Lusa volta a jogar no Canindé. Hoje é dia de casa cheia, cerveja, bolinho de bacalhau e vitória...

Portuguesa X ABC.

A Lusa que luta para conquistar uma vaga no G4 contra o último colocado da série B.

Só um resultado importa: a vitória. E poucas desculpas serão aceitas caso esse não seja o resultado.

O Canindé é a casa Portuguesa, e com certeza hoje o show será nosso.

A Kombi está lotada e a camiseta rubro-verde pronta! Não lotaremos o Canindé, mas o estádio estará cheio de esperança!!!

Vamos Subir Lusa!!!

sábado, 31 de outubro de 2009

Bela vitória Lusa contra o Guarani

Fazia tempo que não assistia um jogo tão bom. E se fosse só o primeiro tempo diria que o jogo foi lindo, perfeito!

A Lusa entrou em campo confiante, para vencer e mostrou isso aos 10 minutos com o gol de Fellype Gabriel.

Na frente, a Lusa mostrou que é superior ao time bugrino e marcou mais dois gols (Fellype Gabriel e Zé Carlos). Como é bom gritar três vezes “Gooooll”.

Um jogo que dá gosto, o jogo que chama o torcedor para o estádio, independente do local e do preço, um jogo que dá ânimo para qualquer torcedor.

Durante os 90 minutos, o Guarani não ofereceu perigo, e o pouco, foi amenizado pelo goleiro Muriel que fez grandes defesas.

No segundo tempo a Lusa perdeu uma grande chance e fazer o 4ª gol com Fellype Gabriel.

Um bom jogo, a esperança está maior, a torcida mais confiante e os jogadores também! Ânimo renovado, dia do saci será comemorado em grande estilo e kombi estará cheia para o jogo de terça-feira no Canindé!

Só fica a pergunta: Por que não foi assim em outros jogos?

Trick or Treat?

Daqui algumas horas a Lusa enfrenta o Guarani, em Campinas. A vitória é fundamental para o time continuar na disputa por uma vaga na série A.

A Portuguesa errou muito durante o campeonato, perdeu pontos que jamais poderia perder no Canindé, portanto a equipe é responsável por e esse sufoco nas rodadas finais.

Com a derrota por 5 a 1 do Atlético-GO e o empate do Ceará, resultados favoráveis para que a Lusa, possa sonhar com uma aproximação do G4, caso a equipe vença hoje.

Agora, sobra para o torcedor fazer as contas, ficar torcendo contra os adversários e acreditar na Lusa.

A tarefa mais difícil é para o sofrido torcedor rubroverde, sempre foi assim e sempre será.

Agora é hora de colocar a cerveja na geladeira e entrar em concentração para a “grande decisão”. Espero do time, não só doces, mas também travessuras contra o Guarani, senão o verdadeiro dia das bruxas será  lá para os lados do Canindé!

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A Lusa e a esperança

Dizem que a esperança é a última que morre. Também já ouvi dizer que verde é a cor da esperança.


Sábado a Lusa enfrenta o pouco que nos resta de esperança contra o Guarani, que usa uniformes verdes.

Iremos aumentar as nossas chances de esperança derrotando o time de verde?? Ou a esperança vai morrer de vez?

O verde da esperança será substituído pelo vermelho da raiva?

Seria o Guarani o mensageiro da esperança para a Lusa? (Que coisa mais chinfrim hahaha)

Ou o time de verde vai amarelar o tão sonhado G4?

A esperança continua e o uniforme e a torcida é rubro-verde!

No fim do jogo estaremos com o verde da esperança, vermelho da raiva ou preto de luto?

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Kombi lotada para os próximos jogos?!

Se no primeiro turno Lusa e Guarani já foi um jogão, talvez o melhor da série B, o jogo do returno promete ser a grande decisão, pelo menos para a Portuguesa.

Caso a Lusa vença, ainda dá para sonhar com a classificação, caso contrário... (deixa pra lá).

Dizem por aí, que os jogadores contam com o apoio da torcida para esse jogo. E pensando na decisão os diretores tomaram alguma atitude para incentivar a torcida a ir até Campinas, não é?

Não.

O mínimo que eles poderiam fazer é comprar uma cota de ingressos distribuir, fazer promoções, etc... É preciso incentivar e chamar o torcedor para a grande decisão no Brinco de Ouro da Princesa. Deveriam disponibilizar ônibus, etc...

É a hora certa de mostrar a importância do torcedor. É um ciclo: jogadores pedem o apoio, a diretoria incentiva e a torcida comparece. Ah, para fechar o ciclo o time tem que vencer.

Mas até agora nada aconteceu e duvido que aconteça.

A grande administração da Portuguesa também já deveria anunciar uma promoção para o próximo jogo no Canindé.

Nos últimos jogos com o mando da Portuguesa, em Mogi Mirim, tivemos por volta de 300 torcedores, então reduzir os ingressos a cinco reais ou liberar a entrada para aqueles com a camiseta da Portuguesa não seria um prejuízo tão grande quanto os jogos de Mogi.

É a hora da diretoria tomar a atitude porque fazer promoção só na última rodada, não vale para nada... Até lá, talvez ninguém queira ir no jogo!

domingo, 25 de outubro de 2009

Vamos escalar o time da Marginal sem número?

Cansado de dar palpite (errado) na Portuguesa, o presidente Manuel da Lupa resolveu comentar sobre o time da Marginal sem número. Segundo o site Justiça Desportiva, Da Lupa declarou: “Não sou técnico, sou dirigente, mas a verdade é que ele (Edno) não está jogando na posição em que tem que jogar. Não adiante colocá-lo para lançar, não adianta colocá-lo de costas para o gol. Ele tem que jogar é com a bola dominada pelo lado esquerdo. É bom jogador e, se fizerem isso, vai jogar bem”. Aproveitando esse momento sugiro que o Da Lupa passe uma grande temporada lá pelos lados do Corinthians.

O Sr. Dr. Presidente lusitano, me parece, que também está em posição errada na Portuguesa. Que tal uma administração inovadora que coloque a Lusa no lugar certo? Na elite do futebol nacional.

E após derrota contra o América-RN, o técnico Vágner Benazzi desabafou:“Hoje eu fiz o que eles sempre pedem, bastante atacante, bastante meia”, referindo-se a torcida do Canindé.

Um time que tem um presidente que dá palpite no time lá da Zona Leste, nada mais natural o técnico aceitar o conselho de alguns torcedores e escalar o time do agrado da "nação" rubro-verde.

Tudo que a torcida da Lusa quer é ver vitórias, fico feliz com as vitórias suadas e ridículas por 1 a 0, mas o que vale são os três pontinhos e a aproximação do G4.

Também quero assistir um grande jogo, com muitos gols e não precisar torcer para a derrota dos demais times para a Lusa entrar no G4. É querer demais? Escalei algum time? (Jamais poderia escalar um time, sou péssima para decorar nomes).

Agora que posso assistir os jogos no Canindé, sonhei com a possibilidade de um jogo com o resultado parecido com 4 a 0, para a Lusa é claro! E sair do Canindé de alma lavada. Mas tudo depende do resultado contra do Guarani, para eu voltar ao Canindé esse ano.

Mas parece que os dirigentes da Lusa já tem uma lista enorme de desculpas para a não classificação no final do campeonato. Desculpas esfarrapadas que listo aqui caso a Lusa não se classifique. Desculpas que não vão me consolar e que não justica a incompetência da Lusa ficar fora da série A. Pois, é a série B mais fácil de todos os tempos!

Quem torce para a Lusa já deveria ter se acostumado com tanto sofrimento.

O sofrer faz parte da história da Lusa, nos contentar com pouco não. A torcida da Lusa é bem chata, e eu me incluo nisso. Por mais que a Lusa esteja bem, sempre vou reclamar de alguma coisa, porque nos fim das contas o que eu quero: ver meu time campeão, difícil? Mas não é impossível!

Por mais que eu fique de saco cheio, não perco a esperança!

Ah, um aviso para a torcida: Vamos escalar o time direito para o próximo jogo, hein!!!! Quero 11 atacantes!!! Ou melhor, vou mandar um e-mail para o Mano Menezes sugerindo algumas mudanças no time da ZL! Alguma sugestão?

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

51 era uma boa ideia, mas já deu ressaca...

Noite quente, bares cheios e cerveja gelada. Nenhum bar da região iria transmitir o jogo da Lusa.  Só restou uma opção: Correr para casa e assistir, no sofá, mais uma decisão rubro-verde.

Vivo na expectativa da classificação da Portuguesa, mas com a consciência de que não será fácil e o pior, está sofrido. Com a Lusa tudo é resolvido no último minuto e na última rodada! Como diz Galvão Bueno: Haja coração!

E haja coração rubro-verde! Quanta instabilidade na equipe lusitana!

O torcedor da Lusa tem que conviver com esses altos e baixos, mas, enquanto existir a possibilidade de classificação, estarei na torcida.

Logo no início do primeiro tempo, a Portuguesa foi surpreendida pelo jogador Julio III. Ele faz parte da dinastia dos jogadores que gostam de acabar com a felicidade dos torcedores da Lusa e abriu o placar para o América de Natal.

No primeiro tempo, a Lusa perdeu as duas únicas grandes oportunidades de marcar gols.

E, no segundo tempo, não vi a Lusa em campo, e dessa vez, eu tenho certeza que a Lusa não jogou para vencer (aliás, jogou?).

Daí por diante aconteceu o pior. O América marcou o segundo, o terceiro e o quarto gol. Confesso que nem prestei mais atenção nos momentos finais do jogo. Perder de 1 a 0 ou 4 a o, tanto faz...

Perdeu, perdeu de um time fraco e diminui a probabilidade da Lusa retornar para a Série A. Perdeu de um time que não poderia perder e no momento em que não poderia perder.

De quem foi a culpa? Não adianta apontar um ou dois jogadores. A culpa é do grupo, do time, da equipe, do clube, etc. Se a administração é incompetente, o time não pode fazer milagre.


Comemorei o jogo anterior com uma 51, mas quem ficou bêbado foi o time da Lusa, e a ressaca será minha, mas só amanhã...

terça-feira, 20 de outubro de 2009

51 pontos, uma boa ideia!

Mais uma decisão, mais uma vitória...

Sempre foi assim. Nunca foi fácil para a Lusa e não seria diferente na série B de 2009. Um campeonato, em que a Lusa viveu altos (passando várias rodadas no G4) e baixos (bem distante da possibilidade de classificação).

Mais sete decisões até o fim do campeonato e quem mais sofre com isso é o torcedor que sofre com a instabilidade da Lusa. Tantos pontos perdidos tão bobamente ao longo do campeonato.

O jogo contra o Ceará foi suado, pelo menos para os torcedores, foi difícil ouvir, assistir e torcer. Lamentei diversas vezes pela equipe que falta muita coisa, principalmente a sede de vitória.

Nós torcedores podemos lamentar também a falta do Canindé, eu estaria lá e a Kombi sairia lotada para ver mais uma vitória da Lusa.

Mas ganhamos! Mais três pontos! Estamos mais próximo do G4 e a batalha continua.

Meio a zero, um golzinho de pênalti no segundo tempo convertido pelo atacante Zé Carlos.

A Portuguesa soma 51 pontos. Duas vitórias consecutivas faz renascer até do torcedor mais pessimista a esperança da classificação.

51 pontos é uma boa ideia, não é? Boa ideia é a Lusa embalar com essas vitórias, continuar no ritmo e vencer todos os próximos jogos.

As próximas decisões:
- América-RN x Portuguesa
- Guarani x Portuguesa
- Portuguesa x ABC
- Juventude x Portuguesa
- Portuguesa x Duque de Caxias
- Vasco x Portuguesa
- Portuguesa x Campinense-PB

domingo, 18 de outubro de 2009

Torcer para Lusa é bom...

... porque podemos zoar todos os times da capital paulista.

Além da bela história, do charme, das cores, das alegrias e etc. é ótimo tirar sarro de todos os times paulistanos.

Quase todos os times da capital foram solidários ao Rubinho e prestaram homenagens pré ou pós corrida. Todos perderam, como ele. Menos a Lusa!

A rodada desse fim de semana no Campeonato Brasileiro foi maravilhosa para qualquer torcedor da Portuguesa que sente prazer em zoar os timinhos paulistanos.

O Edno mais uma vez deu sorte ao time da marginal sem número. O timinho perdeu em Recife por 2 a 0. É ótimo ver o fracasso dele por lá e melhor ainda quando ele é titular e o Corinthians perde. Espero que ele continue “brilhando” muito no timinho.

Agora vamos mudar de time e vamos zoar o time com a torcida mais arrogante da cidade. O tricolor paulista alegrou a torcida adversária perdendo para o Atlético-MG, no Morumbi. Os são-paulinos estão chorando, pois perderam a chance de ficar mais próximos dos times que lideram o campeonato.

Apesar de manter a liderança isolada com quatro pontos de diferença do segundo colocado, a porcada fez feio no Palestra Itália e alegrou a torcida do Flamengo. O “verdão” não amadureceu e amarelou geral. Agora até os urubus do Flamengo sonham em conquistar esse campeonatinho.

Nem vou comentar sobre o time do litoral, que tem como técnico o “todo poderoso Luxemburgo”, que apenas empatou com o fraquíssimo Barueri, porque o que vale são os times da capital.

E a Lusa, que participa de um campeonato emocionante de verdade, foi o único time paulistano que conquistou uma vitória nessa rodada, portanto amanhã é a vez do torcedor lusitano tirar sarro de tudo e de todos. E nem me importo que o campeonato é outro, porque a grande vantagem de torcer para Lusa é essa: tirar sarro de todos.

E devagar a Lusa vai encostando na turma do G4 e sem ninguém perceber, tenho certeza, que o ano que vem estaremos no “Brasileirão” e iremos zoar todos os “grandes” times paulistanos em várias rodadas.

Portanto segunda-feira, 19 de outubro, será o dia do torcedor da Portuguesa mostrar a cara e zoar, zoar muito, rir e dar gargalhadas dos demais times da capital!

Adoro torcer para a Lusa!!!!

sábado, 17 de outubro de 2009

Em jogo decisivo, Lusa vence Atlético-GO

30ª rodada do Brasileirão. A Lusa e Atlético-GO entram em campo em busca de aproximação do G4.


O primeiro tempo:

Muriel defende pênalti e o juiz “esquece” as regras básicas de arbitragem e não marca pênalti claro para a Portuguesa.

Por ser um jogo decisivo para a Lusa acreditava que o time iria mais para cima do adversário, mas a equipe jogou recuada e pouco ameaçou o goleiro adversário.

O segundo tempo:

Lusa estava mais ofensiva e perdeu algumas chances de abrir o placar. Eu já  lamentava o empate quando Marco Antônio, aos 46 minutos salvou o time rubro-verde.

Fim de jogo, mais três pontos e a Lusa está viva no campeonato e com possibilidades de ficar entre os quatro classificados para a série A.

A vitória lusitana garante um final de semana mais colorido para esse sábado cinza e chuvoso em São Paulo. Amanhã é dia de torcer pelo Rubinho!

Próximo jogo será terça-feira contra o Ceará e o único resultado que interessa é a vitória! Eu estou confiante! #VamosSubirLusa

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

O Boteco da Lusa parabeniza a Argentina pela classificação...

MENTIRA!!!

O título foi só para chamar a atenção já que faz alguns dias que não atualizo o blog.

Estava concentrada assistindo os jogos eliminatórios da Copa do Mundo e torcendo pela Argentina, já que não tinha mais graça torcer pelo Brasil.

Uma Copa sem a Argentina não teria graça. É como ir ao Canindé e não tomar um cerveja no Caldo Verde.

Dizem por aí que a Argentina é o Corinthians da América Latina, mas minha torcida é sempre contra o time da Marginal sem número e isso vale também para o campeonato de bolinha de gude da minha rua.

Agora é torcer para o Maradona continuar e o Brasil pegar os hermanos em um jogo decisivo e humilhá-los.

A Argentina merece seu lugar na Copa do Mundo.

Gosto muito do uniforme Argentino. É um dos mais bonitos das grandes seleções. (Fui bem legal chamando a Argentina de grande seleção, todos sabemos que ela não é tão grande assim). Compraria a camisa da Argentina e não compraria a do Brasil. É questão de gosto prefiro mais azul do que do amarelo. Mas entre o azul e o amarelo eu fico com o vermelho, melhor ainda se for rubro-verde.

Mas a partir de hoje minha torcida é contra Maradona e cia...

Falando de campeonato de verdade e rubro-verde, a Lusa só volta a jogar dia 17 contra o Atlético-GO e estou morrendo de medo. Se ganhar continuarei confiante no acesso, mas qualquer outro resultado é mais do que desanimador e eu não quero nem pensar.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Empate com sabor de derrota

Se o jogo fosse no Canindé eu teria saído de lá muito brava, mas como foi em Mogi Mirim, o estresse foi grande, mas estava em casa, sem chuva, frio e vento.

O time da Lusa pouco atacou no primeiro tempo e como é característica do técnico Vágner Benazzi, ele optou em jogar recuado com três zagueiros. A realidade é que eu odeio qualquer esquema tático, de qualquer time, que joga recuado. Gosto de ver gols, gosto de jogos movimentados, pra cima, com mais possibilidades de ataque. Lembrei de como sofria assistindo os jogos da Lusa com o Mário Sérgio no comando.

No segundo tempo o grande destaque foi para o juiz Rodrigo Braghetto que expulsou 3 jogadores da Lusa (Simão, Marco Aurélio e Preto) e dois do São Caetano.

Aos 33 minutos o São Caetano abriu o placar e no final, aos 42 minutos a Lusa empatou o jogo. Empate amargo!

Ficou difícil para a Portuguesa, o acesso ficou distante, perdemos um jogo decisivo e a Lusa parece que vai permanecer na série B, infelizmente. Vou dormir chateada!

domingo, 4 de outubro de 2009

Lusa vence Paraná e mantém a esperança de classificação


Meu fim de semana em Curitiba começou bem, tirando o problema com o atraso do vôo, que por pouco não fez eu perder o jogo ou qualquer outra coisa para fazer na noite curitibana.

Saí de São Paulo com a dúvida entre ir para o jogo da Lusa ou para o show do Arnaldo Antunes, e fiz a escolha certa. Eram 20h50, eu estava na porta do hotel esperando o táxi para me levar até o “grande” espetáculo entre Paraná e Portuguesa.

Cheguei ao estádio o jogo já havia começado, um lugar pequeno, em uma região feia de Curitiba, que me lembrou a região da Rua Amaral Gurgel, embaixo do Minhocão.

Fui sozinha e no caminho pensei em ficar no meio da torcida do Paraná, mas fui informada que a torcida paranista era tranquila e que não haveria problema em ficar na torcida Lusa e também não estava com a camiseta lusitana, então melhor ficar em um ambiente que me faz sentir em casa.

Na entrada já encontrei com colegas de torcida. Senti um alívio, não queria ser a única rubro-verde ali. Estádio pequeno, torcida da Lusa pequena, mas que calou a torcida do Paraná diversas vezes.

Cheguei a imaginar que havia umas seis mil pessoas ali, mas para o meus espanto não chegou a três mil. É bonito ver o movimento das bandeiras da torcida do Paraná, fato que não acontece nas torcidas paulistas. A violência nos estádios de futebol acaba com a graça e a beleza dos jogos. Acho que deveriam liberar as bandeiras em São Paulo. É outra coisa torcida com bandeira, faz o espetáculo ficar muito mais bonito.

Durante o jogo o frio batia no rosto e quase congelou meu nariz, só não digo que estava insuportável porque nos momentos que a Portuguesa atacava a adrenalina subia e o frio passava. A Lusa atacou bastante e perdeu muitos gols, o time poderia ter saído da Vila Capanema com uma bela goleada e a noite seria muito mais quente.

Gostei de ver a Lusa jogar, senti saudades do Canindé e aquela tristeza em saber que o próximo jogo será em Mogi Mirim, contra o São Caetano.

Dois a zero foi um bom resultado, eu acredito que a Lusa possa ficar entre os quatro classificados para a série A.

A vitória fez meu final de semana em Curitiba começar com o pé direito.

Algumas pessoas acham que sou louca, outras tem a certeza, eu ainda estou em dúvida. Mas é legal você ser a minoria e sair com a vitória no estádio do time adversário.

Algumas pessoas perguntam: Qual a balada vc foi na sexta-feira, em Curitiba?

Eu respondo: Fui para o jogo da Lusa!

E ouço: Você tem um parafuso a menos!

E por falar em Curitiba, lembrei de um time paranaense que fez bonito na série A, esse fim de semana, e venceu um timinho da marginal sem número em pleno Pacaembu, na estreia do “querido” Edno. Fim de semana perfeito.


sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Paraná X Portuguesa

Hoje a Lusa enfrenta o Paraná, em Curitiba...

E como acredito que esse jogo é praticamente uma final para a Lusa, embarco para Curitiba... Se criar coragem vou no jogo! Afinal, é final!

Ingressos:
CADEIRA INTEIRA R$ 50,00 / CADEIRA ½ R$ 25,00

ARQUIBANCADA SOCIAL R$ 40,00 / SOCIAL COBERTA ½ R$ 20,00

RETA RELÓGIO R$ 30,00 / RETA RELÓGIO ½ R$ 15,00

CURVA NORTE R$ 20,00 / CURVA NORTE ½ R$ 10,00

CADEIRAS CATIVAS R$ 10,00

PROPRIETARIOS DE CAMAROTE R$ 20,00

VISITANTE: R$ 30,00 / VISITANTE ½ R$ 15,00

Fonte: Paraná Clube

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Lusa vence Bragantino

Depois de três jogos sem vencer a Lusa conseguiu uma vitória regular contra o Bragantino e mantém a esperança de retornar ao G4.

Por que regular?

Por muitas vezes quase dormi ouvindo o jogo.

Antes do primeiro gol, já me lamentava por mais um empate, porque estava difícil marcar um gol.

Para a Lusa só interessava a vitória e o time estava pouco ofensivo. Precisa jogar mais pra frente.

Menos com um jogador a mais, a Portuguesa pouco explorou os erros do adversário.

Mas vencemos por 2 a 0, conseguimos os três pontos e temos possibilidades de voltar ao G4, nas próximas rodadas.

Daqui por diante, cada jogo uma final...

Próximo jogo é contra o Paraná, em Curitiba...

sábado, 26 de setembro de 2009

Como será o final do filme?

Mais uma derrota lusitana!

Começamos vencendo, fizemos 2 a 1 e acreditava em uma vitória, mas o Brasiliense conseguiu virar e acabar com a festa da Lusa e a esperança de se aproximar do G4.

É o terceiro jogo que a Lusa não consegue conquistar os três pontos e o retorno para a série A fica cada vez mais distante!

Tenho a sensação que a Lusa está fazendo um esforço enorme para não se classificar e no final do campeonato lançará o DVD: 10 dicas para seu time não se classificar para série A, com roteiro de Da Lupa; direção de Bonamigo, René Simões e Benazzi; os atores principais são os jogadores com participação nada especial do Edno! A torcida faz o papel de coadjuvante!

O roteiro é um drama, que diversas vezes parece uma comédia, mas o suspense continua o que não pode acontecer é virar um filme de terror! O "The End" está próximo, mas ainda é um mistério para todos, mas espero que todos fiquem satisfeitos com o final do filme!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Lusa x Ipatinga: Vencer, vencer ou vencer


Canindé, quarta-feira, 29 de outubro de 2008.


Lusa entra em campo contra o Ipatinga, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Dois times desesperado, em busca de pontos para se livrarem do rebaixamento. O time mineiro, último colocado na tabela, pensa somente na vitória e a Lusa (17ª colocada), comandada por Estevam Soares, entra com a estratégia vencer ou vencer e sair da zona de rebaixamento.

O time correu, suou, mostrou raça e com dois gols de Fellype Gabriel a equipe lusitana venceu o Ipatinga e os torcedores foram para a casa acreditando que o time não seria rebaixado.

Quase um ano depois, a Lusa enfrenta o time mineiro pela série B, na Arena Barueri. A Lusa, quinta colocada, com 38 pontos e o Ipatinga, em sétimo, na classificação geral, com 36 pontos. Os dois desejam um lugar ao sol, no tão sonhado G4.

O que esperar da Lusa amanhã, às 21h, na Arena Barueri?

Correr, suar, mostrar raça e fazer gols! Só a vitória interessa para a Lusa, não pode nem sonhar com um empate e seria a maior desgraça uma derrota. Ah, e não dá para esquecer que no primeiro turno a Lusa venceu o Ipatinga, em Minas Gerais, por 3 a 0. Com dois de Fellype Gabriel e um de Kempes. Então amanhã, a Lusa não pode sair da Arena sem uma vitória! O jogo será difícil, mas a Lusa é superior e espero que Benazzi monte um time ofensivo e que parta para cima dos mineiros.

E gostaria de agradecer a CBF por proporcionar os jogos em horários maravilhosos, realmente a CBF quer que a torcida frequente os estádios!!! Coloca cada horário acessível: 21h45 de terça-feira, 21h de sábado, etc... O torcedor, do país do futebol, tem que se virar e sofrer com esse calendário ridículo e com esses horários estúpidos!

Amanhã, a Kombi parte sem minha presença! Faz mais de um mês que comprei ingressos para o show do Titãs, estarei ansiosa por ouvir “Cabeça Dinossauro” e de olho no resultado da Lusa, com certeza comemorarei a vitória da Lusa, em grande estilo, com a trilha sonora titânica !

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Em jogo fraco, Lusa empata com Ponte Preta

Estava na maior expectativa para esse jogo. A possibilidade de ir até Barueri era grande, mas era o rodízio da Kombi.

A Lusa precisava dos 3 pontos. (A Lusa sempre precisa dos três pontos, não pode se dar ao luxo de empatar em casa!)

A Ponte Preta venceu a Lusa por 5 a 2, em junho, e estava na hora da revanche. (Esse jogo foi ridículo, a Lusa começou vencendo e deixou a Ponte virar, não tenho saudades do Bonamigo).

Expectativa em vão. Logo no início Evandro marcou para a Ponte Preta e durante todo o primeiro tempo a Portuguesa correu atrás do prejuízo.

Aos 10 minutos do primeiro tempo Fellype Gabriel empatou o jogo e a Lusa morreu em campo.

A distância para o G4 é grande, a Lusa só pode pensar na vitória! E começa a maratona contra tudo e todos em busca da classificação!

Sem Canindé, sem grandes jogadores, sem muita expectativa, passou da hora da Lusa vencer. Próximo jogo  será contra o Ipatinga, o mando é da Lusa, mas o local ainda é indefinido. Pacaembu seria uma boa!!!

Tivemos aproximadamente 1.300 torcedores na Arena! Parabéns a todos que foram assistir a Lusa, mereciam ver uma boa vitória.

Lusa despacha “o mala” do Edno

Terminou a novela “Quem vai ficar com Edno?”. Depois de várias propostas, várias insinuações e muitas piadas o jogador vai para a Marginal sem número.

E com sua partida, a Lusa se livra de um grande tranqueira. Não irá fazer falta nenhuma para a equipe da Portuguesa. Benazzi já provou que pode montar um bom time sem o Edno.

Alguém vai sentir saudades dele? Eu não.
Já que o Corinthians quis... azar dele e sorte nossa!!! Ganhamos muito com esse mercenário fora do time! Ele combina com o Corinthians.. Agora, quero ver jogando bola. Ele é um jogador bom. E só.

Li por aí, que a duração do contrato é até a final da Libertadores. Mas até a final da Libertadores para o Corinthians (primeira fase) ou final de competição???

Agora quero ver o dinheiro. E algum investimento no time da Portuguesa.

Aposto que os torcedores que se encontram na padaria do “Seu Mané” comemoraram muito a dispensa do Edno e estão empolgados para o jogo de amanhã (terça-feira, 15/09). Até cogitam a possibilidade de ter uma Kombi cheia para a Arena Barueri.

Foto: Portuguesa

sábado, 12 de setembro de 2009

Lusa goleia o Bahia, em Pituaçu

Na última quarta-feira a seleção brasileira jogou em Pituaçu contra o Chile. Venceu por 4 a 2. Hoje, no mesmo estádio, a seleção rubro-verde venceu o Bahia por 4 a 1. Conclusão: A Lusa é muito mais emoção!!!
Não assisti todo o primeiro tempo, mas peguei o finalzinho do jogo na padaria do seu Mané. Os torcedores que lotavam a padaria falaram que o time estava regular e o goleiro Muriel tinha feito boas defesas.

Segundo tempo, já em casa vi a Lusa fazer 1, 2, 3 e 4 e perder diversos gols por falta de preparo físico de alguns jogadores. A Lusa também contou com a falta de estrutura da zaga do Bahia que falhou nos gols da Portuguesa.

O Benazzi deu outra cara ao time. De todos os técnicos que passaram pela Portuguesa esse ano, sem dúvida nenhuma, Vágner Benazzi é o que mais deu um “up” no time, que melhor estruturou a equipe e elevou o ânimo, não só da torcida, mas também dos jogadores. Dá até mais gosto de ver a Lusa jogar e infelizmente os próximos jogos serão em Barueri.

Barueri fica aproximadamente 45km da minha casa. Se o trânsito fosse livre, não haveria problema, mas não dá para contar com o trânsito de São Paulo. Será uma viagem até Barueri e para uma trabalhadora, como eu, é difícil. Para quem gosta de ir no estádio é decepcionante ver a Lusa próxima do G4, e não poder torcer no Canindé. O próximo jogo será contra a Ponte Preta. Já fiz as contas de quanto tempo a Kombi vai levar até Barueri e infelizmente, não compensa pegar o trânsito da Marginal e da Castelo.

Conversa na padaria do “Seu Mané”: Edno. Todos querem, mas ninguém tem dinheiro. O Corinthians sonha, mas a Lusa quer “cash”, o time da Marginal sem número, não tem.

Quem vai ficar com Edno? Eu não sei, mas está na hora de colocar um ponto final nessa história. Ou vende ele para qualquer time, de preferência do exterior, ou ele tem que voltar a jogar. Afinal, o salário do mala está em dia.

Foto: Portuguesa

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

E o terceiro uniforme?

Continua a votação no site da Portuguesa para a escolha do terceiro uniforme.

Como já escrevi anteriormente, nas quatro opções, falta uma, com alguma coisa mais rubro-verde. E também imagino que as opções 2, 3 e 4 ficarão estranhas com o patrocinador estampado no meio da camisa. Por isso, voltei na opção 1, embora acho que AZUL não é a cor da Lusa. Pode ser de qualquer outro time como Palmeiras, Corinthians, Grêmio, Cruzeiro, etc.. Mas não combina com a Lusa. O uniforme de treino da Lusa é azul e acho horrível!

A Penalty, a Cavalera e a Portuguesa deveriam ter pensado em opções mais criativas.

Fui atrás das minhas terceiras camisas para fazer um retrospecto.

Em 1996, a Lusa jogou o Torneio Início com a camisa xadrez, deu sorte e foi campeã. Quem lembra?

Já em 1998 a Portuguesa lançou uma camisa para disputar a Copa Conmebol. Além das tradicionais cores verde e vermelho a camisa também trazia as cores azul e amarela. (Até hoje essa é a minha camisa oficial para os jogos da seleção brasileira).

O ano passado a torcida escolheu, através do site, a terceira camisa preta. O uniforme mais bonito que já vi. Uma pena a Lusa ter usado poucas vezes uma camisa tão linda.

Alguém lembra de mais alguma terceira camisa? Qual dessas você mais gosta?

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Quem vai ficar com Edno?

Uma coisa é certa: Não existe mais clima para o jogador continuar no Canindé.
Desde do início do Brasileiro, Edno pouco jogou e fez pela Portuguesa. A torcida insatisfeita o jogador fazendo corpo mole.
A confusão no vestiário da Lusa deu um grande empurrão para o jogador cair fora do clube. Caiu a máscara, não foi?

Agora resta saber: Quem vai ficar com o jogador?
Flamengo, Palmeira, Corinthians, Internacional, São Paulo ou algum time do exterior.

É indiferente o destino dele, que só me surpreenderá se ele continuar no Canindé, porque quero ver ele bem longe, talvez na Rússia ou no Oriente Médio. Edno provou que não merece continuar na Lusa e acredito que poucos torcedores sentirão ausência do jogador. Então, vá logo! E que a diretoria utilize o dinheiro da venda ou empréstido do edno para coisas boas para o time.