domingo, 14 de abril de 2013

A maior tragédia da Portuguesa

6 a 0. Não tive estômago para ficar até o final...

Sete dias para a criação do mundo. Sete dias da semana. Sete maravilhas do mundo. Sete notas musicais... Sete a zero para o Comercial.

Sete é número de mentiroso?

Não! Sete é o número da tragédia. Da maior tragédia da história da Portuguesa. Já vi a Portuguesa perder, assistir aos rebaixamentos, mas levar sete gols, NUNCA.

Foi uma tragédia anunciada. Quem acompanha a A2 sabe que o time é LIMITADÍSSIMO. Aos “trancos e barrancos” a Lusa ganhava as partidas, mas jogando mal. E, muitas vezes, contou com a sorte.

Diante do Comercial não contamos com a sorte, com os jogadores, com a comissão técnica, com os diretores e com ninguém. Eram onze múmias contra o time de Ribeirão Preto. E o Bafo aproveitou todas as oportunidades e deu um baile na Portuguesa. Com direito a gol do Acleisson. GOL DO ACLEISSON! 

Quando o Acleisson marcou o primeiro gol eu já imaginei que tinha algo muito errado e estranho acontecendo. E aconteceu... Um gol, dois gols, três gols.... SETE gols!

Ali na arquibancada, éramos em mais ou menos 60 torcedores da Portuguesa. Sessenta testemunhas da maior tragédia lusitana. Torcedores que saíram de São Paulo, Campinas, região de Ribeirão e de suas casas em Ribeirão, em uma noite fria, para ver um futebol razoável e viram apenas o time do Comercial jogar.

No fim do primeiro tempo, xingamos, cobramos e fui até o alambrado olhar para a cara de cada jogador. Comeram feijoada ou merda? Não importa. Hoje eles já esqueceram a cagada que fizeram, mas eu não esqueci. Não vou esquecer tão cedo. Talvez nunca esqueça. 

Eu, desconsolada na arquibancada, tentava entender a situação. Olhava para o campo e só tinha vontade de uma coisa: Chorar. A cada gol, aumentava meu desespero, o Bafo jogava e a Lusa brincava comigo e com toda a torcida. Sim, a Portuguesa brincou de jogar bola, tirou sarro da minha cara, me humilhou, me fez passar vergonha e ainda cuspiu na minha cara. 

Aquele time que estava em campo não respeitou a nossa camisa, a tradição do clube, o amor dos torcedores, não deu a mínima para o que estava acontecendo. Se venderam, sujaram o nome da Portuguesa e desrespeitaram um time de futebol. Mexeram com o amor e o fanatismo da torcida. 

E não importa se enchemos uma Kombi, um ônibus ou se lotamos o estádio. Esses merdas, assim que vou chamá-los de hoje em diante, não honraram a camisa e esqueceram que "toda ação tem uma reação". E a reação deve acontecer em breve. Que clube vai contratar um jogador de um time que perde de 7 a 0 na A2? Que torcedor vai respeitar um jogador que perdeu de 7 a 0? 

Esse time, não é o que eu aprendi a amar e ter orgulho de torcer. Esses bostas que jogaram contra o Comercial não me representam. E eu espero que a Portuguesa não espere a missa de sétimo dia para tomar alguma providência. Já demitiram o Chamusca? Já mandaram todo mundo embora? É o mínimo que espero de uma diretoria que tem vergonha na cara.

Alguma coisa precisa ser feita e com urgência! Espero nunca mais presenciar uma barbaridade dessa. Não acabem com a minha Portuguesa, pelamor! Não me façam ler notícias como essa do jornal: A Cidade, de Ribeirão Preto. É muita humilhação para uma torcida tão apaixonada.
Capa do caderno de Esporte.




Isso tem que ter um fim...

4 comentários:

HERMINIO FERNANDES disse...

CARA MICHELLE...A QUE PONTO CHEGAMOS....E TRISTE DEMAIS....MERDA E POUCO PRA ADJETIVAR ESSES JOGADORES....O PIOR PRESIDENTE DA HISTORIA DA PORTUGUESA....ESTE SIM DEVE ESTAR FELIZ....

Carlos Alberto Durães disse...

Prezada Michelle,

Sou torcedor da Portuguesa e como tal, profundamente entristecido pelo que aconteceu em Ribeirão Preto.

Entendo a revolta de muitos de nós, embora não concorde com incitações à violência partidas de alguns, pelo twitter, dizendo que queriam “pegar” os jogadores, técnico, todo mundo enfim.

O time embora limitadíssimo vinha cumprindo a sua missão, que é, na minha opinião subir.

Estou com receio de que, o time já sendo fraco, caso haja desestabilização por conta de violência, percamos o rumo de vez e fiquemos mais um ano nesse inferno da série B.

Penso que a Lusa, embora super mal administrada está sendo valente, porque é muito difícil sobreviver num futebol, cada vez mais elitizado e dominado pela televisão.

Em 2011 e 2012 levei meu filho no clube, em alguns sábados de pleno verão. Fazia muito tempo que não ia e fiquei em estado de choque de tristeza, porque em um sábado tinha umas 15 pessoas, em outro tinha umas 20.

Eu, que na infância era levado por meu pai e presenciei como nosso clube era lotado antigamente.

Não acho que esses jogadores, o Chamusca sejam os culpados por tantas decepções de sós torcedores. Acredito que esse jogo foi um dos acidentes do futebol.

Só ousei escrever a ti porque pensei se não podia mos virar esse jogo. Ajudar o time a virar esse jogo.

Pressionar a diretoria para abrir os portões do Canindé no jogo da volta com o Comercial. Ingresso gratuito para todos. Para empurrarmos a Lusa para vencer. Uma vitória é um passo importantíssimo para subirmos – olhando especificamente para essa praticidade.

Quem sabe um Canindé lotado, em apoio, ao invés de 1.000 xingando não possa refletir no estado de ânimo e isso junto com a vergonha que acredito que muitos jogadores sentiram, não possa propiciar até uma goleada...quem sabe até um troco de 7?

Acho possível, mesmo.

Se alguns duvidam da grandeza do time, não iam duvidar da grandeza do amor da torcida pelo time (independente do presidente, da diretoria, do técnico, dos jogadores, de qualquer circunstância). Essa é a hora, o momento, de nos vingarmos com Amor e não com violência ou desprezo.

Desculpe se tomei seu tempo e agradeço se tiver lido e tido paciência.

Obrigado,

Carlos Durães

Pereira disse...

Michelle,

Que pena ter de concordar contigo e ter a certeza de que aquele placar foi real. Não há adjetivos que possam classificar esse resultado! Por menor que seja o compromisso com as nossas cores, não é possível que os jogadores não se sintam obrigados a dar uma resposta em campo. A única redenção será por meio de 3 vitórias consecutivas por 1 x 0. Seriam capazes disso? Um abraço do Pereira

Pereira disse...

Oi, Michelle!

Vamos ver se esses caras de pau conseguem perceber que a única redenção virá de 4 vitórias consecutivas por 1 x 0. Menos que isso, é nada...

Um abraço do Pereira