sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O Criador e a Criatura

Na minha certidão de nascimento não está escrito: torcedora da Portuguesa. Mas nasci lusitana, deve ser coisa de DNA. Meu avô, meu pai, meus irmãos, primos, tios, cachorros... todos torcedores da Lusa. É uma família Portuguesa, com certeza!

Ninguém foi obrigado a vestir a camisa rubro-verde, mas tivemos o privilégio de nascer em uma família inteligente, de bom gosto e, acima de tudo lusitana. Ser torcedora da Lusa é a minha maior virtude.

Foi meu pai que me levou a primeira vez no Canindé, não lembro a idade, mas os anos foram passando e continuo indo em todos os jogos da Lusa e muitas vezes sem ele.

Às vezes acontece de reunir a família toda, e o momento é único. Não existe crise familiar, apenas a paixão pela Portuguesa.

E, movida por essa paixão que aprendi com meu pai, resolvi comprar minha passagem para Recife.

Mas quando meu pai soube que a filha é uma louca, não falou nada, apenas olhou decepcionado e arrependido.

Neste momento ele está sentado em frente ao computador, ouvindo alguma rádio AM e lamentando o dia que me levou pela primeira vez no Canindé.

Enfim, ele pode reclamar de tudo! Dos meus fracassos, dos meus namorados, da minha falta de grana, da minha TPM etc... Menos de torcer para a Portuguesa. Ele é responsável por ter me transformado em uma torcedora apaixonada pela Lusa.

Papai... Azar o seu que vai assistir ao jogo pela TV! Vou fazer de tudo para voltar com boas lembranças da Ilha do Retiro e com um presentão para você! Não lamente por eu ser lusitana, apenas agradeça. A situação poderia ser mais grave, imagina se eu fosse corinthiana ou coisa pior?!

2 comentários:

José Higino disse...

Não desista da Lusa, nunca!

Amanda B Ansaldo disse...

rsrsrsrs ótimo!!! rsrsrsrs imaginei a cena do seu pai c o radinho e cara de triste rsrsrsrs